Voltar

Visitas aos lares vão ser retomadas, “mas com muitas regras”

idoso banner

As visitas aos lares de idosos vão ser retomadas a partir da próxima segunda-feira, mas acautelando a segurança de todos. “Com muitas regras, com muitos cuidados e com muitas limitações. É uma nova normalidade. Não é retornar ao passado”, alertou esta quinta-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19.

“Estas instituições são uma grande preocupação de todos nós. São os mais vulneráveis que têm que ser protegidos”, afirmou a responsável, destacando que “estão a ser tomadas muitas medidas e vamos iniciar o retomar das visitas a estas pessoas, mas em segurança”.

Até ao momento, revelou, Portugal regista 477 mortes em lares e unidades de cuidados continuados: 259 na região Norte, 138 na região Centro, 75 em Lisboa e Vale do Tejo, uma no Alentejo e 4 no Algarve.

Nesta fase, há uma série de questões logísticas que têm de ser asseguradas pelos lares para que sejam retomadas as visitas, como a definição de circuitos e de espaços próprios para estes encontros.

Graça Freitas admitiu, no entanto, que nos lares de idosos “que ainda estejam em surto ou que tenham doentes internados com COVID-19”, a autoridade de saúde pode “temporariamente não considerar seguro que sejam feitas as visitas”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista 28.319 casos confirmados de COVID-19, mais 187 do que no dia de ontem, o que corresponde a um aumento de 0.7%.

Do total de infetados, 82.1% encontram-se em tratamento domiciliário e 2,4% (680) em internamento, dos quais 0,4% (108) em unidades de Cuidados Intensivos.

A última atualização do relatório epidemiológico revela ainda que existem 3198 casos de recuperação, mais 16 do que na quarta-feira, e 1.184 óbitos.