Voltar

Vírus circula a nível planetário. Situação na China não é inesperada

13/06/2020
vírus banner

A Diretora-Geral da Saúde disse hoje que o ressurgimento de surtos na China é preocupante, mas não é uma situação inesperada. “Faz parte da circulação do vírus no planeta”, disse Graça Freitas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19.

“É com grande preocupação que assistimos a este fenómeno na China. Mas não é uma coisa que não se esperasse”. E lembrou que “enquanto o vírus circular a nível planetário, é sempre possível ser exportado de zonas mais ativas para zonas menos ativas e depois dar orige m a novos focos”.

Graça Freitas reforçou que “o vírus está no nosso planeta, está no nosso país e a situação está controlada. É a tal mão sobre a mola, mas sempre que levantamos a mão da mola, o vírus segue a sua trajetória”.

Mesmo os países que já o controlaram “podem ter uma reintrodução a partir de outros focos e novos focos de doença”. A situação na China não é, assim, inesperada. “Faz parte da circulação do vírus no planeta”.

Sobre os controlos dos passageiros nos aeroportos, Graça Freitas disse que as novas medidas, como um rastreio digital, vão ser implementadas gradualmente.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista este sábado mais 283 casos confirmados deCOVID-19 do que no dia de ontem, contabilizando agora 36.463 (mais 0.8%), e 1.512 óbitos (mais sete).

Por outro lado, contabilizam-se mais 238 casos de recuperação da COVID-19, o que eleva para 22.438 o número de casos de pessoas curadas, ou seja, 61.5% dos casos confirmados.

Nesta altura, Portugal tem 12.513 casos ativos de COVID-19, dos quais 96.6% a recuperar no domicílio, enquanto 3.4% estão em internamento, dos quais 0.6% em unidades de Cuidados Intensivos e 2.8% em enfermaria.

A taxa de letalidade global situa-se agora nos 4.1% e sobe para 17.4% na população acima dos 70 anos.