Voltar

Vigilância epidemiológica vai ser reforçada e melhorada

testes covid banner

“Vamos manter, intensificar e melhorar a vigilância epidemiológica, não só dos casos, como também dos contactos dos casos para conseguirmos os bons resultados que conseguimos no início da epidemia”, assegurou este sábado a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19.

Numa altura em que o país se prepara para entrar numa “nova fase epidémica”, a especialista em saúde pública adiantou que “terá que haver um reforço da monitorização”, que vai ser feita “com recurso não só aos métodos tradicionais, mas também a novas tecnologias”, nomeadamente à plataforma Trace COVID-19.

Graça Freitas aproveitou para reforçar o apelo às pessoas que tiveram contacto com um caso confirmado de COVID-19 para que, voluntariamente, entrem em contacto com a linha SNS 24 dizendo “eu estive em contacto com uma pessoa COVID positiva”. A partir daí, explicou, as equipas de saúde pública “confirmarão a história epidemiológica e verão se constitui como verdadeiro contacto e se o contacto foi de alto, médio ou baixo risco”.

Após esse contacto, a pessoa pode ser colocada em confinamento e passa a ser seguida pelos profissionais de saúde de forma ativa (é contactada pelas equipas) ou passiva (é a pessoa que contacta os profissionais).

Questionada pelos jornalistas sobre a reabertura das creches a 18 de maio, a Diretora-Geral da Saúde disse que as autoridades de saúde estão a trabalhar com o Ministério da Saúde para “programar de forma segura o início das atividades letivas”.

Além de um plano de testagem de todos os educadores, que estará em curso nos próximos dias, Graça Freitas adiantou que serão utilizados equipamentos de proteção individual por todos os adultos, bem como pelas crianças com mais de seis anos, desta feita nos jardins de infância. Adicionalmente, a responsável salientou a importância de reforçar a limpeza de equipamentos nestes espaços.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado este sábado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal tem 25.190 casos de COVID-19 (mais 203 do que na sexta-feira) e 1.023 mortos associados à doença. Segundo a Ministra da Saúde, desde o dia 25 de abril foram detetados 422 casos duplicados, pelo que hoje regista-se um número de casos inferior ao que tinha sido anunciado na sexta-feira.

A última atualização revela que houve uma diminuição do número de pessoas internadas, tanto em enfermaria geral como em unidades de cuidados intensivos. Dos 855 doentes estão internados em hospitais (menos 37 do que na sexta-feira), 150 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (menos quatro em relação a ontem).