Voltar

Taxa de letalidade dentro do esperado. Norte e LVT com transmissão comunitária

03/06/2020
covid virus banner

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, disse esta terça-feira que a taxa de letalidade por COVID-19 em Portugal tem evoluído dentro do que era esperado para o país.

“Ao longo da epidemia há flutuações, mas estes valores para Portugal estão dentro do que nós consideramos normal e esperado”, explicou aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19.

Questionada sobre a evolução desde indicador em Portugal, a especialista em saúde pública diz que não “parece que exista uma letalidade mais aumentada do que seria de esperar para um país com as nossas caraterísticas”.

A taxa de letalidade situa-se atualmente nos 4.4% para a população em geral e nos 17.3% nas faixas etárias acima dos 70 anos. Nas últimas 24 horas registaram-se mais 12 óbitos, pelo que o país contabiliza agora 1.436 mortes relacionadas com a COVID-19.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista 32.895 casos confirmados de COVID-19, mais 195 do que ontem, o que corresponde a um aumento de 0.6%.

Graça Freitas adiantou que, de acordo com os últimos dados recolhidos relativamente à transmissão, “a região Norte, apesar de ter uma pequena incidência, ainda tem transmissão comunitária, a região Centro refere apenas pequenos focos localizados e a região de Lisboa e Vale do Tejo ainda tem transmissão comunitária”, com padrões localizados em empresas, lares e obras, mas também tem disseminação comunitária.

Por outro lado, “o Alentejo e o Algarve já só têm muito pequenos focos, e até há dias em que não têm nenhum, e a Madeira e os Açores têm apenas transmissão esporádica“. “A última atualização nacional dá este mosaico”, o que confirma uma “assimetria regional”.