Voltar

Secretário de Estado da Saúde diz que não há indicação para testar menos

03/08/2020
testes banner

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, garantiu hoje que a diminuição de novos casos de COVID19 não está relacionada com a quebra no número de testes realizados. As declarações, que surgiram na conferência de imprensa de balanço da pandemia em Portugal, surgiram no âmbito da publicação da norma sobre o rastreio de contactos publicada pela Direção-Geral da Saúde.

“Na semana que findou, Portugal fez, em média, mais de 13.300 testes por dia, não há qualquer orientação para testar menos”, disse. As declarações surgiram a propósito de notícias que questionaram o impacto da norma na realização de testes, e que a DGS desmentiu em comunicado, assegurando que Portugal não irá reduzir o número de testes” nem restringir o universo de pessoas sujeitas à realização de testes.

António Lacerda Sales afirmou que a nova norma mais não faz que formalizar e normatizar aquilo que já eram os procedimentos habituais. “A realização de testes a contactos de casos confirmados de covid-19 sempre dependeu e continua a depender da estratificação do risco efetuada pelas autoridades de saúde”, disse.

Acrescentou ainda que a eficácia da testagem é limitada se não houver, paralelamente, um trabalho de identificação de cadeias de transmissão, através de inquéritos epidemiológicos que permitam identificar e isolar os contactos.

Por último, destacou que têm sido tomadas “as melhores decisões, com base na melhor evidência científica disponível em cada momento e gerindo os recursos de que dispomos de forma proporcional, dinâmica e procurando sempre a melhor eficiência”.

Portugal regista hoje mais 106 novos casos de infeção por COVID-19 em relação a domingo, segundo o relatório da situação epidemiológica da Direção-Geral de Saúde (DGS), em que se assinala que, desde o início da pandemia, se registaram 51.569 casos de infeção e 1.738 mortes