Voltar

Regras para campos de férias e ATL serão publicadas em breve

criança banner

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, disse hoje que as regras para as atividades dos campos de férias e para os Ateliers de Tempos Livres (ATL) em contexto de pandemia de COVID-19 serão publicadas em breve.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, a especialista em saúde pública explicou que a Direção-Geral da Saúde (DGS) tem estado em colaboração com o setor e com os ministérios para a elaboração de regras.

Para os campos de férias, adiantou, serão emitidas recomendações pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), que elaborou as regras em colaboração com a DGS.

Nas próximas horas, deverão sair as regras específicas para os ATL. “Vamos observar algumas que já recomendamos para as escolas e algumas que já recomendamos para as creches, em função da idade dos utilizadores destes serviços”, explicou a responsável, destacando que os princípios gerais são adaptados aos diferentes contextos, sempre “na vertente preventiva”.

Questionada sobre a evolução da epidemia na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), Graça Freitas lembrou que “o que está a acontecer em Lisboa foi o que já aconteceu noutras zonas do país”. “Há circulação do vírus”, prosseguiu, e essa circulação “é diferente conforme as localidades”, pelo que a resposta difere.

Sobre o aumento de casos na região, a Diretora-Geral da Saúde explicou que “é uma situação multivariada”, que está relacionada com “pequenos surtos em bairros, surtos em fábricas e casos esporádicos disseminados na população”.

“A boa notícia é que as autoridades de saúde, as autarquias, a Santa Casa da Misericórdia, os serviços da Segurança Social e a Proteção Civil, de acordo com as dinâmicas locais que não são iguais em todos os concelhos, têm conseguido articulação para intervir junto da população”, assegurou.

Além da intervenção das autoridades de saúde, Graça Freitas destacou o “grande esforço de sensibilização” que está a ser feito pelas entidades locais junto de algumas comunidades para alertar para os riscos e para prevenção.

Segundo a responsável, “a maior parte destas pessoas tem sintomatologia ligeira e tem de ficar na sua habitação.

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, considera que para já “não parece” existir necessidade de ativar os hospitais de campanha da região.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista esta quarta-feira 31.292 casos confirmados de COVID-19, mais 285 do que ontem, o que corresponde a um aumento de 0.9%.

Por outro lado, verificam-se 510 casos em internamento, dos quais 66 em unidades de Cuidados Intensivos, menos 5 do que na terça-feira.

Nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas mais 253 pessoas, o que eleva para 18.349 o número total de recuperados da infeção provocada pelo novo coronavírus (58.6% do total). Registam-se ainda 1356 óbitos relacionados com a infeção e uma taxa de letalidade global de 4.3%, que sobe para os 16.9% na população com mais de 70 anos.