Voltar

Quase 88% dos doentes tratados a partir de casa

trabalhar em casa banner

Portugal regista esta segunda-feira 20.863 casos confirmados de COVID-19 (mais 657 do que no domingo), dos quais 87.8% são tratados a partir do domicílio. Dos 5.8% que se encontram a receber tratamento hospitalar, 4.8% estão internados em enfermaria geral e 1% em unidades cuidados intensivos.

Os dados foram apresentados pelo Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia. Até ao momento, adiantou, registam-se 735 óbitos relacionados com a infeção e uma taxa de letalidade de 3.5%, que a partir dos 70 anos ascende aos 12.8%.

Segundo o governante, chegaram “ontem 66 ventiladores a Portugal vindos da China, como estava previsto, 63 dos quais adquiridos pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) e os outros três por autarquias”.

António Sales explicou que “esses ventiladores serão distribuídos de imediato por todo o país: 40 ficarão na região Norte e Centro e os restantes 23 serão distribuídos por unidades hospitalares de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve”. Essa distribuição, esclareceu, será feita “de acordo com os critérios definidos pela comissão de acompanhamento da resposta nacional em medicina intensiva, que são a efetividade, a segurança e a urgência. E sempre tendo em conta a equidade”.

Neste momento, revelou, “Portugal regista uma taxa de ocupação em unidades de cuidados intensivos de 54%”. Felizmente, prosseguiu, “todos os dias há boas notícias no SNS”, nomeadamente “sempre que um doente sai dos cuidados intensivos, muitas vezes depois de quadros complexos”.

Questionado sobre a chegada de 5.000 testes que permitem ter resultados mais rápidos, o governante adiantou que está prevista para esta semana. Estes testes, ressalvou, são “fiáveis” e validados pelo Infarmed, e “não têm nada a ver com o que se designa por testes rápidos”, embora permitam obter resultados em 45 minutos a uma hora. Tal como já tinha explicado anteriormente, o Secretário de Estado sublinhou que estes testes serão utilizados em situações de urgência, nomeadamente antes das cirurgias e em mulheres grávidas.