Voltar

Portugal vai receber um milhão de testes à COVID-19

covid banner

Portugal prepara-se para receber um milhão de testes de diagnóstico à COVID-19 e, até 17 de abril, mais um milhão de kits de extração, anunciou esta quinta-feira o Secretário de Estado da Saúde. Na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, António Lacerda Sales adiantou que entretanto foram recebidas mais 90 mil zaragatoas, que serão distribuídas pelo Infarmed, em colaboração com o Laboratório Militar.

Ainda sobre o reforço de material, nomeadamente o de proteção dos profissionais de saúde, o governante referiu que amanhã chegarão cinco milhões de máscaras cirúrgicas e 850.000 máscaras FFP2. Segundo António Sales, existem encomendas de 52 milhões de máscaras cirúrgicas, sendo que 15 milhões já foram entregues. Adicionalmente, foram encomendados 566.000 fatos de proteção integral, dos quais já foram distribuídos mais de 53.000.

Após a apresentação dos dados sobre a COVID-19 em Portugal (13.956 casos de infeção, 409 óbitos, 205 casos de recuperação), o governante deixou um apelo à união: “Esta é uma luta de todos, precisamos de todos. Só juntos conseguimos ultrapassar esta dificuldade”.

Entre aqueles que se têm mobilizado para ajudar no combate à pandemia, António Sales destacou a Movijovem, que disponibilizou as suas pousadas para receber profissionais de saúde, doentes, idosos deslocados dos lares e sem-abrigo, e as operadoras de comunicação móveis, que ofereceram um plafond extra de internet aos profissionais de saúde que estão envolvidos no combate à COVID-19

Questionada sobre a realização dos testes de imunidade à população, a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, sublinhou que “tem que se encontrar o tempo ótimo para o fazer”. Neste momento, explicou, ainda não há forma de saber “qual a proporção de população portuguesa que está imunizada”, pois o primeiro caso aconteceu há pouco mais de um mês (a 2 de março).

Fernando Almeida, presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), reforçou que este ainda não será o momento indicado para começar a fazer testes em massa, pois o número de pessoas que já terá desenvolvido anticorpos é relativamente pequeno.

No entanto, adiantou, está previsto que entre o final do mês de abril e o início do mês de maio tenha início um inquérito piloto a cerca de 1.700 pessoas para saber se desenvolveram imunidade à COVID-19. Com esse projeto será possível perceber melhor como funcionam os testes, a sua eficácia na deteção de anticorpos e a logística que vai ser necessária para os alargar a mais pessoas.

Desta forma, disse Fernando Almeida, será possível aferir “as primeiras proporções de imunização” no país. Contudo, ressalvou, ainda não é claro se “a imunidade é duradoura ou não”.