Voltar

Portugal mantém tendência de recuperação da atividade não-COVID

30/09/2020
hospital banner

A Ministra da Saúde, Marta Temido, destacou hoje, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia em Portugal, que existe uma “clara tendência de recuperação” da atividade assistencial não-COVID.

A governante lembrou que, em março de 2020, foram suspensas as atividades não urgentes para dar resposta ao crescimento exponencial de casos de COVID-19, tal como aconteceu em todos os países europeus, e que atividade assistencial começou a ser retomada a partir do mês de maio.

Apesar destas condicionantes, a evolução da atividade assistencial até agosto demonstra “uma clara tendência de recuperação”, o que se deve ao esforço prosseguido pelos profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

No que se refere às consultas nos cuidados de saúde primários, a Ministra explicou que existe uma diminuição de 4,4% face a agosto de 2019, mas que se trata de um número inferior ao registado nos meses anteriores (maio -10,5%, junho -7,2% e em julho -5,9%).

Na atividade assistencial hospitalar, o total de consultas médicas registadas em agosto deste ano, quando comparado com período homólogo, foi de menos um milhão de consultas (-12,6%), sendo que, em maio, esse diferencial era de -16,%.

A mesma tendência se verifica em relação às intervenções cirúrgicas. “No acumulado em agosto de 2020, face a 2019, havia menos 100.000 intervenções (-22,%), o que uma vez mais é uma melhoria face aos três meses anteriores”, referiu a governante.

Marta Temido afirmou ainda que “se a pandemia se mantiver em níveis relativamente contidos, a nossa expectativa é que consigamos melhorar estes indicadores”, mas sublinhou que “será difícil atingir os valores de 2019, um ano exemplar para o SNS em termos de atividade assistencial”.

Fonte: Serviço Nacional de Saúde – Retoma da Atividade Assistencial