Voltar

Portugal fez mais de meio milhão de testes desde 1 de março

testes banner

Portugal realizou mais de 532.000 testes de diagnóstico à COVID-19 desde o dia 1 de março, dos quais 15% em março (quase 80.000), 65% no mês de abril (347.000) e cerca de 20% de 1 a 8 de maio (mais de 105.000).

Os dados foram apresentados este domingo, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19, pela Ministra da Saúde. Depois de ter registado uma média de cerca de 11.500 testes de diagnóstico por dia em abril, Portugal está agora a realizar, em média, 13.000 testes diários. Nos dias 5, 6 e 7 de maio, adiantou Marta Temido, o país analisou mais de 15.000 amostras.

“Tal como noutros países, a estratégia de desconfinamento está associada a uma continuação da lógica de testar, testar, testar, não só os casos suspeitos e os seus contactos, mas também grupos específicos localizados em determinados locais que, pelas suas especificidades, merecem maior precaução”, explicou, referindo-se aos testes feitos aos funcionários dos lares e das creches. “E, provavelmente, poderá vir a acontecer com outras áreas”, ressalvou.

Relativamente ao perfil das pessoas que adoecem, a Ministra da Saúde revelou que dos 1.909 casos confirmados com informação completa entre 1 e 7 de maio (92% do total), 55% eram do sexo feminino, 17% tinham mais de 80 anos e 16% tinham entre 30 e 39 anos.

Do total de casos analisados, 36% residiam no distrito de Lisboa, 15% no do Porto e 15% no de Braga. Por outro lado, 43% eram casos sintomáticos e 30% eram assintomáticos, não existindo informação sobre os restantes, o que levou a governante a apelar, mais uma vez, à necessidade de dados completos.

Dos 46% que tinham informação sobre o local de transmissão, 32% tinham contraído a infeção em lares de idosos, 32% entre coabitantes, 19% em contexto laboral e 7% em ambiente social. Marta Temido relevou ainda que 5% das infeções ocorreram entre profissionais de Estruturas Residenciais Para Idosos (ERPI) e 3% entre profissionais em ambiente de saúde. No mesmo período, houve 52 surtos em ERPI e 13 em empresas privadas.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista 27.581 casos confirmados de COVID-19, mais 175 casos do que no sábado, o equivalente a um aumento de 0.6%. Dos novos casos, 98 pertencem à região do Norte, 76 à de Lisboa e Vale do Tejo e um à região do Algarve.

“Nas últimas 24 horas, a região de saúde do Centro e do Alentejo não reportaram casos novos”, sublinhou a Ministra da Saúde. Segundo a última atualização, Portugal acumula agora 2.449 casos de recuperação e 1.173 óbitos, mais 9 do que no dia anterior (e 8 dos quais em pessoas com mais de 80 anos). Neste momento, 83.8% dos casos confirmados estão em domicílio e 2.9% em internamento hospitalar (797), dos quais 2.5% em enfermaria geral e 0.4% em unidades de Cuidados Intensivos (112).