Voltar

Objetivos do confinamento foram “genericamente cumpridos”

covid mundo banner

A Ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou este sábado que “os objetivos do confinamento foram genericamente cumpridos”, permitindo “desacelerar a transmissão da infeção [COVID-19] e manter a capacidade do nosso sistema de saúde”.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, a governante referiu que todos os dias são avaliadas as consequências das decisões do governo, sendo que “neste momento, os sinais que temos mantêm-se encorajadores”.

“Quase todos os indicadores epidemiológicos, para não dizer todos, de impacto nos serviços de saúde e de monitorização apresentam tendência decrescente ou estável”, indicou.

Nos últimos dias, o número médio de novos casos notificados foi de 200, o de óbitos foi de 12 e o número médio de transmissões – o Rt – foi de 0.97. Por outro lado, o número médio de doentes internados por COVID-19 foi de cerca de 570 e o de doentes em cuidados intensivos foi de 110.

No entanto, ressalvou a Ministra, “não podemos ainda observar a totalidade dos efeitos das decisões” que foram tomadas, pelo que “é imprescindível manter monitorização sistemática dos vários indicadores”.  

Lembrando a necessidade de desconfinar gradualmente, Marta Temido disse que “a saúde e a doença não se distribuem simetricamente em toda a sociedade e a pandemia não está a atingir de igual forma todos os portugueses”, pelo que “os de menores rendimentos e os mais velhos têm estado mais expostos”.

No final da conferência de imprensa, a governante lembrou que o retomar da atividade estará dependente “do nosso comportamento cívico e autovigilância, mais do que da instalação de uma sociedade policial, repressiva ou de medo”. O medo, sublinhou, é “o maior inimigo que enfrentamos”.

Portugal contabiliza este sábado mais 494 casos recuperados da COVID-19, o que eleva o número total para 3.822. De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela DGS, o país regista 28.810 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, mais 227 do que no dia de ontem, o que corresponde a um crescimento de 0.8%. Estes novos casos foram detetados sobretudo na região do Lisboa e Vale do Tejo (146) e no Norte (68).

Por outro lado, ocorreram mais 13 óbitos nas últimas 24 horas, 11 dos quais em pessoas com mais de 80 anos, elevando para 1.203 o número total de mortes relacionado com a infeção. A taxa de letalidade global situa-se nos 4.2%, sendo de 15.5% para a população com mais de 70 anos.

Do total de casos confirmados, 82% estão em domicílio e 1.9% em internamento hospitalar, dos quais 0.4% em unidades de Cuidados Intensivos. Em números absolutos, registam-se menos 19 pessoas internadas em enfermaria e mais 4 em Cuidados Intensivos.