Voltar

Número de recuperados da COVID-19 sobe para 347

enfermeiro com máscara banner

Portugal registou a maior subida no número de pessoas recuperadas da COVID-19 em 24 horas, contando esta terça-feira com 347 casos de recuperação, mais 70 do que no dia anterior. De acordo com o último boletim epidemiológico publicado pela DGS, o país tem agora 17.448 casos confirmados de COVID-19, mais 514 do que relatório de segunda-feira, o que representa um aumento de 3%.

Os números foram apresentados pelo Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, na conferência de imprensa de atualização dos dados da COVID-19.

Segundo o governante, 15.307 doentes (87.7%) estão a ser seguidos em casa, enquanto 7% se encontram hospitalizados – 5.8% em enfermaria e 1.2% em unidades de Cuidados Intensivos.

No que diz respeito ao número de óbitos, Portugal regista agora 565 mortes associadas à COVID-19, o que equivale a uma taxa de letalidade de 3.2%, que acima dos 70 anos sobe para 11.4%.

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, revelou que um terço dos óbitos ocorreu em pessoas que estavam em lares e instituições para idosos, o que corresponde ao expectável, pois a maioria dos óbitos tende a ocorrer “em populações idosas e com múltiplas patologias”. Os lares de idosos, explicou, merecem especial atenção, uma vez que albergam “pessoas muito vulneráveis” e têm uma “elevada concentração” de utentes.

Desde o dia 1 de março, revelou António Sales, foram realizados mais de 190.000 testes de diagnóstico à COVID-19 em Portugal, numa média de 10.000 testes por dia desde 1 de abril. Atualmente, regista-se uma taxa de 18.000 testes por cada milhão de habitantes, o que coloca o país à frente de países como a Alemanha e a Suécia.

António Sales lembrou que “o SNS 24 continua a ser a porta de entrada preferencial” no serviço de saúde, atendendo uma média de 11.000 chamadas por dia.