Voltar

Número de internados em cuidados intensivos diminuiu

cuidados intensivos banner

A pandemia de COVID-19 em Portugal contabiliza 15.472 infetados (uma subida de 10.9%), dos quais 1.179 internados e 226 em unidades de Cuidados Intensivos. Relativamente a quinta-feira, houve uma redução de 15 doentes internados nestas unidades, anunciou esta sexta-feira a Secretária de Estado Adjunta da Saúde, Jamila Madeira, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia.

Portugal regista 233 doentes recuperados da infeção COVID-19 e 435 óbitos (mais 26 do que na quinta-feira). “São números difíceis e temos sempre caminhado para nos encorajar. Todos os dias são uma realidade diferente. Esta é já uma longa caminhada. Temos vindo a conquistar etapas todos os dias, passo a passo, ultrapassando as adversidades”, destacou Jamila Madeira.

O que os dados nos dizem, prosseguiu, é que temos que manter o esforço coletivo. “Não podemos abrandar nem levantar a guarda”, sublinhou, agradecendo aos profissionais do SNS, mas também à academia, à indústria, ao tecido empresarial, às organizações e às pessoas que a título individual se têm juntado a esta batalha.

“Obrigada também hoje e sempre por toda esta onda socialmente responsável e empreendedora que tem marcado presença importante neste combate”, afirmou, acrescentando que “enquanto país, temos sido capazes de antecipar, agir, reagir, respondendo e enfrentando os desafios”.

Reconhecendo que o confinamento é particularmente difícil no período da Páscoa, Jamila Madeira lembrou que “estamos afastados agora para podermos estar juntos”. “Não podemos falhar e o esforço tem que continuar”, referiu.

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, esclareceu que “não há justificação para fazer um cordão sanitário” em Castro Daire, tendo as autoridades de saúde e locais decidido que o mais importante é “reforçar junto da população a necessidade de manter distanciamento social” e, adicionalmente, fechar alguns estabelecimentos. “É esse o plano em vigor”, disse, destacando que a situação continuará a ser acompanhada.

Questionada sobre a utilização de máscaras pela população em geral, a Diretora-Geral da Saúde revelou que ainda hoje sairá um documento sobre o assunto, alinhado com o que dizem as organizações internacionais e os peritos. Será feito, frisou, “ em conformidade com o enquadramento nacional e internacional” e “adaptado à realidade portuguesa”.

O presidente do Infarmed, Rui Ivo, adiantou que foi pedido à indústria farmacêutica que forçasse a produção dos medicamentos mais usados no tratamento da COVID-19, tendo sido feito um reforços das reservas estratégicas para responder a situações que possam surgir.