Voltar

Nove das 14 crianças internadas no Hospital Dona Estefânia já tiveram alta

criança banner

Das 14 crianças que estiveram internadas com COVID-19 no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, apenas cinco permanecem hospitalizadas, revelou esta segunda-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia.

“As notícias são boas. Estiveram de facto 14 crianças internadas, à data estão cinco e apenas uma está ainda em cuidados intensivos”, explicou aos jornalistas a especialista em saúde pública.

Há uma semana estavam duas crianças em cuidados intensivos, mas agora apenas uma permanece naquela unidade. “E está estável”, sublinhou a Diretora-Geral da Saúde.

A responsável destacou que houve “uma evolução favorável” nesta última semana no quadro das crianças que ali se encontravam hospitalizadas, registando-se já mais de metade recuperadas da COVID-19 e em domicílio.
Sobre a retoma da atividade nas creches, Graça Freitas referiu que não foi reportada nenhuma situação anómala, o que leva a crer que “as coisas estão a correr dentro da normalidade”.

Relativamente aos testes, reforçou que “são uma fotografia tirada num determinado momento”, pelo que as educadoras que foram testadas para retomar a atividade “têm uma responsabilidade acrescida de se protegerem” para não se infetaram e transmitirem a doença.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), registaram-se mais 200 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, o que representa um aumento de 0.6%, elevando para 32.700 o número total de infetados.

Por outro lado, verificam-se 471 pessoas em internamento hospitalar, menos três do que no dia de ontem, sendo que 64 permanecem internadas em unidades de Cuidados Intensivos.

O relatório mostra que ocorreram mais 14 óbitos relacionados com a infeção, registando-se agora 1.424 mortes por COVID-19 em Portugal, o que corresponde a uma taxa de letalidade de 4.4.%, que sobe para os 17.2% nos doentes com mais de 70 anos.

A última atualização indica que existem 11.253 doentes a ser seguidos no domicílio, mais 46 pessoas do que ontem, e 19.552 doentes recuperados (mais 143).