Voltar

Mais de 2.300 profissionais de saúde contratados no âmbito da pandemia

05/05/2020

As instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS) contrataram mais de 2.300 profissionais de saúde desde o início da pandemia de COVID-19, anunciou esta terça-feira o Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária de atualização dos dados.

Segundo o governante, foram contratados cerca de 750 enfermeiros, mais 100 médicos, cerca de 1.100 assistentes operacionais, 150 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, 150 assistentes técnicos, entre outros profissionais. “Agradecemos a disponibilidade e o meritoso e inestimável trabalho que têm vindo a desenvolver”, salientou.

Lacerda Sales lembrou que os conselhos de administração das instituições de saúde têm autorização para contratar diretamente no âmbito da resposta à COVID-19. “Continuaremos a reforçar, a preparar e a robustecer o SNS para que dê respostas a quem dele precisa, seja no parto, na prevenção de doenças, no diagnóstico ou nos tratamentos”, afirmou.

Na sua intervenção inicial, o Secretário de Estado revelou ainda que assinou um despacho que permite retomar as provas de avaliação final da primeira época do internato médico do ano de 2020, que foram suspensas a 18 de março por força das circunstâncias. “O desenvolvimento dos concursos para o acesso e ingresso nas carreiras especiais da saúde é fundamental para que tenhamos mais médicos especialistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, justificou.

A realização das provas “deve iniciar-se já a partir de 8 de junho de 2020 e o processo de avaliação final deve ficar concluído até ao dia 3 de julho de 2020”. “São boas notícias para os jovens médicos, mas são também excelentes notícias para o SNS, que não para. Está on para dar respostas no âmbito da COVID-19 e para além da COVID-19”, sublinhou.

De acordo com o relatório epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista 25.702 casos confirmados de COVID-19, o que representa mais 178 do que no dia de ontem, o equivalente a um aumento de 0.7%. Por outro lado, verificam-se 818 casos em internamento, dos quais 134 em unidades de Cuidados Intensivos (menos 9 do que na segunda-feira).

A última atualização revela que existem 1.743 casos de recuperação (mais 31), que correspondem a 6.8% do total de casos confirmados, e 1.074 óbitos.
Neste momento, a taxa de letalidade global é de 4.2% e ascende aos 14.9% na população acima dos 70 anos. Do total de infetados, cerca de 85.9% encontram-se em tratamento domiciliário e 3.2% em internamento, sendo que 0.5% estão em unidades de Cuidados Intensivos e 2.7% em enfermaria.