Voltar

Mais de 12 milhões de máscaras encomendadas

30/04/2020
máscaras banner

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, revelou esta quinta-feira que existe “uma encomenda de 12,383 milhões de máscaras FFP2”, sendo que “já estão entregues 5,288 milhões”.

Na opinião do governante, que falava aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19, este “é um número que nos deixa confortáveis” no que diz respeito à proteção dos profissionais de saúde.

No entanto, ressalvou, estas “são medidas de aquisição progressiva”. Se houver “algum défice ou alguma falha”, sublinhou, o Governo irá “continuar a adquirir”.

Relativamente às máscaras de uso comunitário, Lacerda Sales referiu que já foram emitidos 202 certificados para permitir a produção nacional de máscaras de proteção, 71 dos quais para produção de máscaras comunitárias e 46 destas reutilizáveis. Até ao momento, destacou, há 60 empresas certificadas para a produção destas máscaras, sendo que cada uma pode ter mais do que uma licença.

Em declarações aos jornalistas, o governante ressalvou que “as máscaras, sendo importantes, não anulam as restantes medidas” de proteção contra a infeção pelo novo coronavírus.

Sobre este tema, a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, apelou às pessoas “que utilizem as máscaras comunitárias que tiverem sido submetidas a certificação”. “Houve um grande trabalho das empresas para que as máscaras sejam fabricadas de acordo com boas práticas para promover a proteção das pessoas”.

A especialista em saúde pública lembrou que as empresas são obrigadas a respeitar uma série de parâmetros para a produção destas máscaras, que tem de ter a capacidade de filtrar partículas. “É muito importante que as pessoas, quando começarem a utilizar máscaras comunitárias, utilizem aquelas que têm uma certificação e que estão sujeitas a uma fiscalização por parte da ASAE se não cumprirem com o que está dito. O objetivo da máscara é não deixar passar partículas para o exterior”, sublinhou.

Segundo Graça Freitas, serão dadas recomendações relativas ao uso de máscaras certificadas (que podem ser de uso único ou múltiplo) e sobre a metodologia de colocar e tirar as mesmas. Para que a eficácia da máscara não seja colocada em causa, quem usa máscara deve ter “muita disciplina para não levar as mãos à cara mais vezes do que já leva”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista hoje 989 mortos associados à COVID-19 (mais 16 do que na quarta-feira) e 25.045 infetados (mais 540).