Voltar

INSA vai realizar mais três estudos serológicos

06/07/2020
testes banner

O inquérito serológico feito pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) contou com a participação de 2.100 pessoas, estando neste momento a ser preparados mais três estudos serológicos dedicados a pessoas que estiveram infetadas com o novo coronavírus, profissionais de saúde e mães e recém-nascidos.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19, Fernando Almeida, presidente do INSA, adiantou que os três estudos serão desenhados depois de serem conhecidos os resultados preliminares do inquérito serológico, que estão previstos para a segunda quinzena de julho.

Segundo o presidente do INSA, o instituto foi abordado pela Organização Mundial de Saúde, que demonstrou interesse no projeto destinado aos profissionais de saúde, manifestando-se disponível para apoiar com recursos materiais.

Neste momento, o INSA está a trabalhar no inquérito serológico que começou em maio, e cuja primeira fase terminou na sexta-feira.

“Esperamos perceber concretamente a proporção de casos de pessoas com algum nível ou com um nível elevado de anticorpos”, esclareceu Fernando Almeida, acrescentando que os testes usados nesta altura do inquérito permitem apenas identificar a presença de anticorpos.

O inquérito será repetido dentro de cinco meses e, posteriormente, de três em três meses, durante um ano, “sempre de acordo com a situação epidemiológica”.

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, destacou que este estudo “vai determinar a extensão da infeção na população geral residente em Portugal, comparar as taxas de seropositividade específicas para a idade e para a região, estimar a fração de infeções assintomáticas ou subclínicas e monitorizar a evolução da imunidade da população ao longo do tempo”.