Voltar

Infarmed alerta para embalagens falsificadas de cloroquina

laboratório banner

O Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde publicou esta terça-feira uma circular informativa que alerta para a existência de embalagens falsificadas de cloroquina, um medicamento indicado para a malária, que tem vindo a ser usado para o tratamento de doentes com COVID-19.

De acordo com a nota do Infarmed, “o Working Group of Enforcement Officers (WGEO) divulgou um alerta referente ao produto Chloroquine phosphate, 250 mg, tablet, com número de lote ilegível e prazo de validade 11/2022, fabricado por Brown & Burk Pharmaceuticals Limited, sito em “Belgique – Bruxel””.

Segundo a mesma publicação, “o mencionado fabricante não está autorizado pelas autoridades europeias (o único fabricante europeu com o nome Brown & Burk UK, Ltd. está localizado no Reino Unido e não na Bélgica) e a rotulagem apresenta um erro de ortografia (a palavra “Bruxel” em vez de “Bruxelles”)”.

Desta forma, o produto “foi classificado como falsificado”, pelo que “as entidades não podem comercializar o referido produto”. Aquelas que o tenham adquirido ou que tenham sido contactadas para o adquirir, diz o Infarmed, “devem proceder de imediato à sua segregação e comunicar ao Infarmed através do e-mail dil-ins@infarmed.pt”.

Por fim, a autoridade do medicamento relembra “a necessidade de medidas de cautela adicionais nesta fase de pandemia”.

Consulte a Circular Informativa – Medicamento falsificado – Chloroquine phosphate, 250 mg, tablet.