Voltar

Grupo etário dos 20 aos 49 anos é o mais atingido pela epidemia

24/06/2020
trabalhar em casa banner

O grupo etário mais atingido pela COVID-19 é, neste momento, o dos 20 aos 49 anos, adiantou esta quarta-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia.

Ressalvando que este é um indicador que se vai alterando ao longo do tempo, a responsável explicou que “o grupo etário que continua a ser mais atingido é o dos 20 aos 49 anos”.

O surto que se gerou a partir de uma festa no Algarve, por exemplo, “tem muita população jovem, incluindo muitas crianças”. Até à data, foram identificados casos positivos em 19 menores. Não existe, contudo, “um padrão uniforme em todo o país”, esclareceu a especialista em saúde pública, destacando que nos surtos em lares, por exemplo, o grupo etário é mais avançado.

A média de idades dos infetados concentra-se entre os 20 e os 49 anos, mas “há surtos específicos que têm a ver com a socialização, sobretudo com as festas e ajuntamentos que atingem gente mais jovem, e outros surtos específicos que têm a ver com os lares e atingem gente mais idosa”.

Em ambos os casos, a forma de atuar é semelhante: “Agir muito rapidamente. Daí o apelo para que as pessoas que têm sintomas procurem rapidamente o médico. Não fiquem à espera”.

Relativamente ao sexo dos infetados, 48% dos casos positivos são mulheres e 52% são homens. “Não há um predomínio em relação a um sexo”, destacou.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista mais 367 casos confirmados de COVID-19 (82% dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo), o que significa um aumento de 0.9% em relação ao dia de ontem, que eleva para 40.104 o número total de infetados no país.

Por outro lado, foram registados mais 254 doentes recuperados da infeção provocada pelo novo coronavírus, mais 1%, pelo que o país contabiliza agora 26.083 pessoas curadas da COVID-19.

Do total de casos ativos, 429 encontram-se internados, menos 2.7% do que na terça-feira, e 73 em unidades de Cuidados Intensivos (mais 1).

Neste momento, o país regista 1.543 óbitos relacionados com a pandemia, sendo a taxa de letalidade global de 3.8% e de 16.6% na população acima dos 70 anos.