Voltar

Governo enaltece trabalho dos médicos de família

19/05/2020
dois medicos

“Se é verdade que nunca tivemos dúvidas sobre a sua importância e papel, no combate a esta pandemia este tem sido ainda mais evidente, determinante e fundamental”, disse essa terça-feira o Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, referindo-se aos médicos de família.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19, o governante quis “saudar de uma forma muito especial os médicos de família portugueses no seu dia mundial”.

“Temos hoje cerca de 5.800 médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar no Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, referiu Lacerda Sales, lembrando que estes profissionais “têm sido cruciais no acompanhamento de casos confirmados e suspeitos de COVID-19, através da plataforma Trace COVID, no acompanhamento do doente crónico e de outras patologias e na adaptação às teleconsultas”.

O governante destacou que os médicos de família “estão efetivamente na linha da frente da defesa da saúde dos portugueses”. “O nosso muito obrigado pelo seu inestimável trabalho”, disse o Secretário de Estado.

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, aproveitou também para assinalar o Dia Mundial da Doação de Leite Humano. “A todas as dadoras e a todos os profissionais que incentivam esta prática, o nosso agradecimento”.

A responsável lembrou que o leite humano é “um grande fator positivo para o desenvolvimento harmonioso dos recém-nascidos e das crianças, e é tanto mais positivo para os prematuros”. Por isso, “esta doação de leite humano é, de facto, um ato de solidariedade e de grande disponibilidade para com o outro e para com as crianças quer necessitam deste leite e que estam muitas vezes internadas por longos períodos em unidades de neonatologia”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista 29.432 casos confirmados de COVID-19, mais 223 do que no dia de ontem, o que corresponde a um aumento de 0.8%.

Nas últimas 24 horas ocorreram mais 16 óbitos relacionados com a COVID-19, o que eleva o número de mortes para 1.247. Por outro lado, registam-se 6.431 casos de recuperação da infeção provocada pelo novo coronavírus.

Do total de infetados, 71.8% encontram-se em tratamento domiciliário e 2.1% em internamento hospitalar (0.3% em unidades de Cuidados Intensivos e 1.9% em enfermaria geral).