Voltar

Governo agradece aos enfermeiros. Gozo de férias novamente autorizado

medicos hospitais

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, aproveitou o facto de o Dia Internacional do Enfermeiro se assinalar hoje para agradecer o trabalho que tem sido desenvolvido por esta classe e adiantou que os profissionais de saúde vão poder voltar a gozar férias.

“Está novamente autorizado o gozo de férias pelos profissionais de saúde, desde que seja acautelado o normal funcionamento do serviço, tendo em conta a necessidade de manutenção da prontidão de resposta a um eventual aumento de incidência de COVID-19 em Portugal”, adiantou o governante, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia.

Consciente de que é preciso “devolver alguma normalidade à vida dos enfermeiros e dos profissionais de saúde”, o “Ministério da Saúde decidiu revogar o despacho de 15 de março, que restringia o gozo de férias dos profissionais de saúde de forma a que não fosse posta em causa a prestação de cuidados de saúde durante a pandemia”.

Em declarações aos jornalistas, saudou todos os enfermeiros portugueses, pelo “elevado contributo” dado ao país. “Os enfermeiros são uma das maiores forças do trabalho do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Temos hoje mais de 46.000 enfermeiros a trabalhar no SNS, 800 dos quais já contratados no âmbito desta pandemia”, lembrou.

“Este profissionais têm sido cruciais no combate a esta pandemia, mas também na atividade para além do COVID-19, seja no acompanhamento do doente crónico, na emergência médica, no SNS 24, nos cuidados de saúde primários, transformando Portugal num caso de sucesso na vacinação, por exemplo”, destacou, acrescentando que os enfermeiros são “transversais à prestação de cuidados de saúde”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal tem 27.913 casos confirmados de COVID-19, mais 234 do que na segunda-feira, o que equivale a um aumento de 0.8%.

Nas últimas 24 horas registaram-se mais 464 casos de recuperação da COVID-19, o que eleva o número de recuperados para 3.013, que correspondem a 10.8% dos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus.