COVID-19 https://covid19.min-saude.pt Página Inicial Fri, 30 Oct 2020 18:35:26 +0000 pt-PT hourly 1 https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/03/favicon_dgs.svg COVID-19 https://covid19.min-saude.pt 32 32 SNS reforça camas em enfermaria e cuidados intensivos https://covid19.min-saude.pt/sns-reforca-camas-em-enfermaria-e-cuidados-intensivos/ Fri, 30 Oct 2020 18:35:21 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6900953 O Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, garantiu hoje na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia que o Serviço Nacional de Saúde “respondeu, está a responder e continuará a responder à pandemia e ao seu impacto”.

O governante revelou que foram disponibilizadas para doentes COVID, na quinta-feira, “mais 600 camas de enfermaria e mais 93 camas em unidades de cuidados intensivos dentro do SNS”. Também no dia de ontem, “a taxa de ocupação global em camas de enfermarias dedicadas à Covid-19 foi de 84%” e a “taxa de ocupação global em camas de unidades de cuidados intensivos dedicadas à Covid-19 foi de 81%”, afirmou.

“Sabemos todos que continuaremos a enfrentar semanas difíceis”, afirmou Diogo Serras Lopes, frisando, no entanto, que a capacidade “atual do Serviço e do Sistema Nacional de Saúde continuará a ser expandida na medida do necessário, para garantirmos os melhores cuidados de saúde a todos num contexto de incerteza e de evolução rápida da pandemia a nível global”.

Diogo Serras Lopes acrescentou ainda que “tão fundamental como a capacidade de resposta é a necessidade de controlarmos e diminuirmos o número de casos novos”. “Todos, individual e coletivamente, temos o dever de reduzir ao máximo possível as possibilidades de contágio”, afirmou o Secretário de Estado da Saúde.

Sobre a questão das potenciais vacinas contra a COVID-19, o governante relembrou que embora este seja um contexto de incertezas, os especialistas de saúde estão “convictos e esperançosos” que estão a ser “dados bons passos” para haver uma vacina no fim deste ano ou no início de 2021.

“Portugal faz parte também da compra europeia de vacina e, portanto, naturalmente é algo que aguardamos com expectativa”, concluiu Diogo Serras Lopes.

Fonte: https://www.sns.gov.pt/noticias/2020/10/30/covid-19-resposta-a-pandemia/

]]>
Mais 4.656 casos e 1.747 recuperados da COVID https://covid19.min-saude.pt/mais-4-656-casos-e-1-747-recuperados-da-covid/ Fri, 30 Oct 2020 18:35:08 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6900987 Portugal regista esta sexta-feira mais 4.656 casos confirmados de COVID-19 do que ontem, o que eleva o total de infetados para 137.272, de acordo com o relatório de situação publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas mais 1.747 pessoas no país, que totaliza agora 77.449 casos de recuperação da COVID-19.

A última atualização indica que ocorreram mais 40 óbitos por COVID-19, pelo que Portugal contabiliza 2.468 mortes relacionadas com a pandemia.

Segundo o boletim, existem 1.927 pessoas (mais 93) com COVID-19 internadas em enfermaria, das quais 275 (mais 6) em unidades de Cuidados Intensivos.

]]>
Portugal tem taxa de notificação de 240 casos por 100.000 habitantes https://covid19.min-saude.pt/portugal-tem-taxa-de-notificacao-de-240-casos-por-100-000-habitantes/ Mon, 26 Oct 2020 18:10:50 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6796727 A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, disse esta segunda-feira que Portugal apresenta uma taxa de notificação acumulada a 14 dias superior ou igual a 240 casos por 100.000 habitantes.

“Esta taxa de incidência tem uma tendência crescente”, explicou aos jornalistas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da COVID-19.

Na declaração inicial, a especialista em saúde pública começou por apresentar os números mais recentes. De acordo com o relatório de situação publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nas últimas 24 horas foram identificadas mais 2.447 pessoas com COVID-19, o que eleva o número total de infetados para 121.133.

A última atualização indicam que recuperaram da COVID-19 mais 1.079 e registaram-se mais 27 óbitos relacionados com a pandemia.

No final do dia de ontem estavam internados 1672 doentes (mais 98 do que ontem), dos quais 240 em unidade de Cuidados Intensivos.

]]>
Testes rápidos começam a ser usados a 9 de novembro https://covid19.min-saude.pt/testes-rapidos-comecam-a-ser-usados-a-9-de-novembro/ Mon, 26 Oct 2020 18:00:41 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6796720 A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, anunciou esta segunda-feira que a Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou hoje uma Norma com a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, que contempla a utilização de testes rápidos, com entrada em vigor no dia 9 de novembro.

Desta forma, prosseguiu, garante-se que “todos os intervenientes no processo – que são muitos e complexos – têm tempo de se ajustar às mudanças”.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19, Graça Freitas esclareceu que a utilização de testes rápidos de antigénio vai permitir “reduzir e controlar ainda mais a transmissão da doença e prevenir e mitigar o impacto da doença no sistema de saúde, nos seus serviços e nas populações mais vulneráveis”.

Estes testes devem ser usados em pessoas sintomáticas nos primeiros cinco dias de sintomas e em pessoas sem sintomas, mas em situações concretas como surtos. “Podem ainda usar-se estes testes numa terceira situação, que é o rastreio periódico de profissionais de saúde em contexto de maior risco de exposição”, acrescentou.

A especialista em saúde pública esclareceu ainda que “um teste rápido de antigénio negativo numa pessoa com forte suspeição clínica de COVID-19 não dispensa a realização de teste molecular para confirmação”.

Neste momento, sublinhou, existem indicações internacionais que indicam “que é seguro utilizar testes rápidos de antigénio, sobretudo nos casos positivos” para sintomatologia e nos primeiros cinco dia de sintomas.

]]>
Mais de 2.500 transportes de casos suspeitos entre 11 e 18 de outubro https://covid19.min-saude.pt/mais-de-2-500-transportes-de-casos-suspeitos-entre-11-e-18-de-outubro/ Thu, 22 Oct 2020 13:56:47 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6682426 O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) realizou, entre 11 e 18 de outubro, 2.566 transportes de utentes com suspeita de infeção com SARS-CoV-2. As equipas de colheitas de amostras biológicas para análise à COVID-19 efetuaram, no mesmo período, 398 colheitas.

De acordo com o INEM, a atividade de transporte de doentes com suspeita de infeção com o novo coronavírus continua a aumentar pela terceira semana consecutiva.

Os meios da Delegação Regional do Norte transportaram 1.068 utentes e os meios da Delegação Regional do Sul efetuaram 955 transportes às urgências hospitalares. Na região Centro foram efetuados 448 transportes e no Algarve foram transportados 95 utentes com suspeita de COVID-19.

A definição de caso suspeito de COVID-19 é, entre outros e de acordo com as normas em vigor¸ qualquer situação de falta de ar (dispneia) triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes.

Por seu lado, o trabalho das equipas de enfermagem, responsáveis pela colheita de amostras biológicas para análise à Covid-19, teve um ligeiro decréscimo relativamente à semana anterior. Entre 11 e 18 de outubro foram recolhidas 398 amostras, menos 57 do que na semana anterior.

Fonte: Serviço Nacional de Saúde – Covid-19 | Atividade do INEM

]]>
Equipas já contactaram mais de 17 mil pessoas em LVT https://covid19.min-saude.pt/equipas-ja-contactaram-mais-de-17-mil-pessoas-em-lvt/ Thu, 22 Oct 2020 13:55:23 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6682425 As equipas multidisciplinares criadas no âmbito do combate à COVID-19 na Área Metropolitana de Lisboa contactaram, entre 30 de junho e 20 de outubro, um total de 17.007 pessoas nos concelhos da Amadora, Lisboa, Loures, Odivelas, Sintra, Almada, Seixal, Barreiro, Moita e Setúbal.

Profissionais da Saúde, Segurança Social, Proteção Civil/Municípios e forças de segurança têm ido ao terreno sensibilizar a população para as medidas de prevenção da doença, bem como verificar e encontrar soluções para quem necessita de apoio alimentar e realojamento, o que tem tido um impacto positivo no combate à doença.

Assim, entre 30 de junho e 20 de outubro, os elementos das equipas constituídas nos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) da Amadora, Lisboa Central, Lisboa Norte, Lisboa Ocidental e Oeiras, Loures-Odivelas, Sintra, Almada-Seixal, Arco Ribeiro e Arrábida realizaram ações de rua e visitas a agregados familiares. No total, 17.007 pessoas foram alvo desta intervenção.

Além de contactar pessoas que possam necessitar de ajuda complementar para cumprir o confinamento/isolamento profilático – e assim ajudar a quebrar as cadeias de transmissão da COVID – estas equipas também têm visitado estabelecimentos comerciais e realizado ações de sensibilização à população.

Fonte: Serviço Nacional de Saúde – Covid-19 | Área Metropolitana de Lisboa

]]>
Pessoas com alta clínica estão aptas para voltar à escola ou ao trabalho https://covid19.min-saude.pt/pessoas-com-alta-clinica-estao-aptas-para-voltar-a-escola-ou-ao-trabalho/ Wed, 21 Oct 2020 13:51:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6682423 A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, esclareceu esta quarta-feira que “se as pessoas tiverem alta clínica quer dizer que estão aptas a voltar quer ao trabalho quer à escola”.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19, a especialista em saúde pública apelou aos empregadores e às escolas que não tenham nenhum receio de receber os doentes após a alta clínica.

De acordo com a atualização da norma nº 004/2020, o isolamento termina ao fim de dez dias, sem necessidade de teste, “para os doentes com doença ligeira a moderada que não tido agravamento dos seus sintomas e que estejam sem febre e sem medicação para a febre nos últimos três dias”. E o mesmo se aplica às pessoas com doença assintomática.

Este é, explicou Graça Freitas, o critério de alta clínica “internacionalmente aceite” e que, neste momento, está a ser utilizado em Portugal.

Mais informações em: Norma n.º 004/2020, de 23/03/2020 e atualizada a 14/10/2020 .

]]>
SNS preparado para expandir oferta de camas de enfermaria e UCI https://covid19.min-saude.pt/sns-preparado-para-expandir-oferta-de-camas-de-enfermaria-e-uci/ Wed, 21 Oct 2020 13:48:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6682424 O Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, garantiu hoje que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está preparado para continuar a expandir a oferta de camas de enfermaria e de Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) para doentes com COVID-19, observando que “a serenidade é, especialmente em momentos de crise, essencial para que a resposta que estamos a dar seja a melhor possível”.

Na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, o governante revelou que, a nível nacional, a taxa de ocupação de camas em enfermaria para doentes com COVID-19 é de 72%, registando-se uma maior incidência na região Norte, onde é de 76%.

“O aumento de casos verificado nas últimas semanas coloca, e continuará a colocar, uma pressão significativa sobre todo o sistema de saúde e, em particular nesta fase, sobre a saúde pública”, afirmou Diogo Serras Lopes.

O Secretário de Estado da Saúde observou que, relativamente aos valores registados em abril, se verificam “menores incidências proporcionais” de internamento em enfermaria e também em Unidades de Cuidados Intensivos, bem como uma diminuição do tempo médio de internamento, relativamente a abril e maio.

Passados sete meses sobre os primeiros casos registados em Portugal, o Governo considera que o SNS está mais bem preparado, quer ao nível do reforço de recursos humanos profissionais (mais de 5.000, entre os quais 1.700 enfermeiros), e de equipamento, quer na execução do plano outono/inverno, cuja versão consolidada deverá estar disponível no final da semana.

Fonte: Serviço Nacional de Saúde – Covid-19 | SNS está preparado

]]>
Novos casos de COVID-19 detetados sobretudo nos jovens https://covid19.min-saude.pt/novos-casos-de-covid-19-detetados-sobretudo-nos-jovens/ Mon, 19 Oct 2020 15:36:54 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6599504 A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, disse esta segunda-feira que as populações mais jovens são aquelas onde existe uma maior incidência de novos casos de COVID-19, mas verifica-se também um aumento nos mais velhos.

“Há um aumento da proporção de novos casos entre os 50 e os 69 anos. Apesar de tudo a maior parte dos casos são em faixas etárias jovens”, disse aos jornalistas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19.

Segundo a especialista em saúde pública, “há uma grande transmissão comunitária do vírus e que pode levar ao aumento dos casos em todas as faixas etárias”, apesar de continuar “a verificar-se um predomínio das populações mais jovens”.

Por outro lado, adiantou, em 59% dos casos foi possível identificar um contacto com alguém que tivesse sintomas ou fosse caso positivo, ou seja, foi possível estabelecer o link epidemiológico.

Outro dado positivo, destacou, é o período de tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico da doença, que é atualmente de três dias.

De acordo com o relatório de situação publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde, Portugal regista 101.860 casos de COVID-19, ou seja, mais 1.949 do que no dia de ontem.

Nas últimas 24 horas, foram dadas como recuperadas mais 966 pessoas no país, que soma agora 59.966 casos de recuperação da COVID-19.

No mesmo período, ocorreram 17 óbitos por COVID-19 em Portugal, pelo que o país contabiliza 2.198 mortes relacionadas com a pandemia.

]]>
Portugal tem 29 milhões de artigos de proteção individual na reserva nacional https://covid19.min-saude.pt/portugal-tem-29-milhoes-de-artigos-de-protecao-individual-na-reserva-nacional/ Mon, 19 Oct 2020 15:36:36 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=6599502 O Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, anunciou hoje que “a reserva nacional de equipamentos de proteção individual, ou seja, equipamento fundamental para os profissionais poderem prestar cuidados de saúde em segurança é hoje de 29 milhões de artigos”.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19, o governante reforçou que “o Serviço Nacional de Saúde está preparado para continuar a dar respostas”.
Desde o início da pandemia, adiantou, “já fizemos mais de três milhões de testes à COVID-19 em Portugal”.

Neste momento, o país dispões de 798 camas em unidades de cuidados intensivos, das quais 250 dedicadas à COVID-19, com uma ocupação de 66%, isto é, 165 doentes COVID.

Na sua intervenção inicial, Lacerda Sales lembrou ainda que começa hoje a segunda fase de vacinação gratuita, que visa as pessoas com mais de 65 anos e os doentes crónicos. Na primeira fase, referiu, foram administradas mais de 225 mil vacinas em Estruturas Residenciais Para idosos e outras respostas sociais e foram vacinados mais de 30% dos profissionais de saúde.

]]>