COVID-19 https://covid19.min-saude.pt Página Inicial Mon, 14 Jun 2021 14:42:43 +0000 pt-PT hourly 1 https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/03/favicon_dgs.svg COVID-19 https://covid19.min-saude.pt 32 32 Mais de um milhão de pessoas já agendou a toma da vacina contra a covid-19 https://covid19.min-saude.pt/mais-de-um-milhao-de-pessoas-ja-agendou-a-toma-da-vacina-contra-a-covid-19/ https://covid19.min-saude.pt/mais-de-um-milhao-de-pessoas-ja-agendou-a-toma-da-vacina-contra-a-covid-19/#respond Wed, 09 Jun 2021 12:25:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047776 Mais de um milhão de pessoas já fez o pedido de marcação para tomar a vacina contra a COVID-19 na plataforma de autoagendamento, revelou o coordenador da ‘task force’ do plano de vacinação contra a COVID-19.

“O autoagendamento é uma coisa essencial porque já permitiu agendar mais de um milhão de pessoas e um milhão de pessoas agendadas manualmente é um esforço gigantesco”, afirmou o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo após a visita ao centro de vacinação de Monte Abraão, no concelho de Sintra.

Gouveia e Melo adiantou que, apesar de o autoagendamento sofrer “muitas vezes” de problemas informáticos que vão sendo resolvidos, a plataforma permitiu “retirar o agendamento manual que foi necessário no início porque eram pessoas muito idosas e infoexcluídas”. Ao substituir-se esse método por “um agendamento mais automático e mais rápido”, está a libertar-se recursos humanos que são necessários para o processo de vacinação, declarou.

Desde que se iniciou o plano de vacinação, em 27 de dezembro de 2020, Portugal já recebeu 7.263.540 vacinas, tendo sido distribuídas pelos postos de vacinação do país e pelas duas regiões autónomas 6.299.315 doses, segundo o último relatório semanal da vacinação da Direção-Geral da Saúde.

]]>
https://covid19.min-saude.pt/mais-de-um-milhao-de-pessoas-ja-agendou-a-toma-da-vacina-contra-a-covid-19/feed/ 0
Portugal mantém situação de calamidade https://covid19.min-saude.pt/portugal-mantem-situacao-de-calamidade/ https://covid19.min-saude.pt/portugal-mantem-situacao-de-calamidade/#respond Wed, 09 Jun 2021 12:23:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047775 Novas regras do plano de desconfinamento entraram em vigor no dia 11 de junho

O Governo decidiu prolongar a situação de calamidade em Portugal continental até 27 de junho. Para já, Braga, Lisboa, Odemira e Vale de Cambra não avançam no desconfinamento, mantendo as atuais regras.

Na habitual conferência de imprensa, após a reunião do Conselho de Ministros, em Lisboa, a Ministra de Estado e da Presidência adiantou que neste momento não existe nenhum concelho com mais de duas vezes 240 casos da COVID-19 por 100 mil habitantes no caso das áreas de alta densidade populacional ou mais de duas vezes 480 casos por 100 mil habitantes no caso de concelhos de baixa densidade populacional.

Entre as novidades, conta-se a alteração à estratégia de testagem: “Há uma alteração no que diz respeito à estratégia de testagem e são incluídas duas novas regras. A primeira diz respeito à necessidade de testagem de empresas com mais de 150 trabalhadores no mesmo posto de trabalho”, disse Mariana Vieira da Silva. Será também obrigatório fazer testes de diagnóstico à COVID-19 para se ter acesso a eventos desportivos, culturais e familiares, incluindo casamentos e batizados.

Na nova fase do plano de desconfinamento, desde o passado dia 11 de junho (sexta-feira), o comércio pode funcionar com o horário do respetivo licenciamento; os restaurantes, cafés e pastelarias (máximo de seis pessoas no interior ou 10 pessoas em esplanadas) podem funcionar até à meia-noite para admissão de clientes e 1h00 para encerramento; e os equipamentos culturais podem funcionar até à 1h00.

Os transportes públicos podem circular com lotação de dois terços ou com a totalidade da lotação no caso de terem exclusivamente lugares sentados; a lotação para casamentos e batizados continua a estar limitada a 50% do espaço; e a prática desportiva passa a poder ter público no caso das modalidades amadoras, com lugares marcados e lotação restrita a 33% do espaço.

Para saber mais, consulte:

Controlar a Pandemia – 9 de junho

]]>
https://covid19.min-saude.pt/portugal-mantem-situacao-de-calamidade/feed/ 0
39% dos portugueses já recebeu a primeira dose da vacina https://covid19.min-saude.pt/39-dos-portugueses-ja-recebeu-a-primeira-dose-da-vacina/ https://covid19.min-saude.pt/39-dos-portugueses-ja-recebeu-a-primeira-dose-da-vacina/#respond Tue, 08 Jun 2021 12:14:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047773 Cerca de 39% da população residente em Portugal já recebeu a primeira dose da vacina e 23% já se encontra totalmente imunizada, de acordo com o relatório semanal sobre a evolução do plano de vacinação contra a COVID-19 divulgado no dia 8 de junho, dia 8 de junho, pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Na última semana, mais 226.341 pessoas receberam a primeira dose da vacina no país e mais 333.769 a segunda dose requerida para a vacinação completa. Segundo os dados, 15% da população entre os 25 e os 49 anos já recebeu a primeira dose.

No total, desde o início do processo de vacinação, que se iniciou no dia 27 de dezembro do ano passado, Portugal já recebeu 7.263.540 vacinas e utilizou 6.299.315 doses.

De acordo com o relatório da DGS, a faixa etária dos 80 anos para cima encontra-se praticamente vacinada contra o novo vírus, sendo que, neste momento, 97% das pessoas com estas idades no país já tomaram a primeira dose e 92% já se encontram totalmente imunizadas.

Também a faixa etária dos 65 aos 79 anos já se encontra também quase toda vacinada, considerando que 94% desta população já foi inoculada com a primeira dose e 51% está completamente vacinada.

Para saber mais, consulte:

Relatório de vacinação semanal

]]>
https://covid19.min-saude.pt/39-dos-portugueses-ja-recebeu-a-primeira-dose-da-vacina/feed/ 0
Portugal já realizou cerca de 12 milhões de testes https://covid19.min-saude.pt/portugal-ja-realizou-cerca-de-12-milhoes-de-testes/ https://covid19.min-saude.pt/portugal-ja-realizou-cerca-de-12-milhoes-de-testes/#respond Tue, 08 Jun 2021 12:14:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047774 Portugal já realizou cerca de 12 milhões de testes à COVID-19 desde o início da pandemia, sendo que mais de metade (53%) foram feitos nos primeiros cinco meses deste ano, revelou o coordenador da ‘task’ force da testagem.

“O mês de janeiro foi o mês em que mais testámos, mais de 1,6 milhões”, afirmou Fernando de Almeida na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença COVID-19 e do processo de recuperação económica e social.

O coordenador da ‘task force’ para a promoção do Plano de Operacionalização da Estratégia de Testagem em Portugal explicou que 22 de janeiro foi o dia em que foram realizados mais testes (77 mil), adiantando que nessa altura a taxa de positividade atingiu os 20,2%.

Em média, foram feitos 40 a 50 mil testes por dia, uma média que tem sido mantida semanalmente, adiantou Fernando de Almeida.

Entre 16 de março e 04 de junho, foram realizados 541.335 testes em estabelecimentos de educação e ensino, dos quais 728 tiveram resultado positivo, o que resulta numa taxa de positividade de cerca de 0,13%.

No Ensino Superior, foram realizados 160.393 testes, dos quais 88 foram positivos, o que significa uma taxa de positividade de 0,05%.

O coordenador da ‘task force’ da testagem destacou também a capacidade de testagem em Portugal, afirmando que está à frente de países como Itália, Espanha, Suécia, Irlanda, Suíça, Países Baixos ou a Alemanha.

]]>
https://covid19.min-saude.pt/portugal-ja-realizou-cerca-de-12-milhoes-de-testes/feed/ 0
Covid-19 | Estratégia Nacional de Testes https://covid19.min-saude.pt/covid-19-estrategia-nacional-de-testes/ https://covid19.min-saude.pt/covid-19-estrategia-nacional-de-testes/#respond Mon, 07 Jun 2021 12:13:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047772 Autotestes passam a integrar a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2

Os autotestes à COVID-19 vão passar a integrar a Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, de acordo com norma da Direção-Geral da Saúde (DGS), segundo a qual os centros de saúde podem realizar o teste a utentes assintomáticos se estes o consentirem.

A orientação, que atualiza a norma de 26 de outubro de 2020, e que formalizou a ‘Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2’, passa a incluir também as creches nos rastreios laboratoriais regulares que já integravam estabelecimentos de educação e ensino.

Segundo a DGS, os rastreios à covid-19 devem ser periódicos nos concelhos com incidência cumulativa a 14 dias superior a 120 casos por 100 mil habitantes ou em concelhos com incidência cumulativa inferior, de acordo com a avaliação de risco epidemiológico a nível regional e/ou local pela Autoridade de Saúde territorialmente competente.

Sobre a utilização dos autotestes, que as pessoas podem comprar nas farmácias ou parafarmácias, a DGS afirma que a sua utilização não substitui, mas complementa, a utilização dos restantes testes laboratoriais para SARS-CoV2, pelo que “não devem ser considerados como testes de diagnóstico em pessoas com suspeita de infeção por SARS-CoV-2 (pessoas sintomáticas) ou pessoas com contactos com casos confirmados de COVID-19”.

A Estratégia de Testes para SARS-CoV-2 tem como objetivos, através da utilização adequada de testes laboratoriais para deteção e isolamento precoce de casos, reduzir e controlar a transmissão da infeção por SARS-CoV-2, prevenir e mitigar o impacto da infeção por SARS-CoV-2 nos serviços de saúde e nas populações vulneráveis e monitorizar a evolução epidemiológica da doença.

Os testes laboratoriais para SARS-CoV-2 disponíveis em Portugal são os Moleculares de Amplificação de Ácidos Nucleicos, que incluem os testes RT-PCR convencional, os Testes Rápidos de Antigénio, os autotestes, e os testes serológicos, que avaliam a resposta imunológica à infeção.

Consulte a orientação aqui:

https://www.dgs.pt/normas-orientacoes-e-informacoes/normas-e-circulares-normativas/norma-n-0192020-de-26102020-pdf.aspx

]]>
https://covid19.min-saude.pt/covid-19-estrategia-nacional-de-testes/feed/ 0
DGS atualiza norma da vacina VAXZEVRIA https://covid19.min-saude.pt/dgs-atualiza-norma-da-vacina-vaxzevria/ https://covid19.min-saude.pt/dgs-atualiza-norma-da-vacina-vaxzevria/#comments Fri, 28 May 2021 23:04:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047612 A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualiza hoje (dia 28 de maio) a Norma 003/2020, relativa à vacina VAXZEVRIA® .

Esta norma determina que as pessoas com menos de 60 anos que já foram vacinadas com uma dose de vacina VAXZEVRIA possam ser vacinadas com uma vacina de mRNA, respeitando o intervalo previsto de 12 semanas após a primeira dose.

As pessoas que adiaram a segunda dose do esquema de VAXZEVRIA®, aguardando por nova recomendação da DGS, devem completar a vacinação, logo que possível, com uma dose de vacina de mRNA.

Neste esquema misto podem surgir alguns sintomas, como febre, cansaço, inchaço ou dor no local a administração, nos primeiros dias após a vacinação, tal como acontece com todas as vacinas contra a COVID-19. As pessoas devem estar atentas a estes sintomas e seguir as indicações do folheto da norma e dos profissionais de saúde.

São ainda atualizados aspetos relacionados com as contra-indicações e reações adversas.
Para mais informação, consulte a Norma nº 003/2021 de 08/02/2021 atualizada a 28/05/2021
Campanha de Vacinação contra a COVID-19 Vacina VAXZEVRIA.

]]>
https://covid19.min-saude.pt/dgs-atualiza-norma-da-vacina-vaxzevria/feed/ 1
Curso “COVID-19 e Medidas de Isolamentos no domicílio” na plataforma NAU a 31 de maio https://covid19.min-saude.pt/curso-covid-19-e-medidas-de-isolamentos-no-domicilio-na-plataforma-nau-a-31-de-maio/ https://covid19.min-saude.pt/curso-covid-19-e-medidas-de-isolamentos-no-domicilio-na-plataforma-nau-a-31-de-maio/#comments Fri, 28 May 2021 23:04:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047613 A nova pandemia por SARS-CoV-2 trouxe consideráveis desafios sociais e económicos. No âmbito das cadeias de transmissão da doença, os agregados familiares de casos confirmados ou suspeitos de COVID-19 são especialmente vulneráveis a ser infetados.

A Direção-Geral da Saúde, sendo uma entidade parceira do Projeto NAU, desenvolveu o curso “COVID-19 e Medidas de Isolamento no Domicílio”.

Se está em isolamento, faça este curso gratuito e aprenda as medidas para se proteger a si e à sua família, colocando em prática o conceito de ser um “agente de saúde pública”.

Registe-se na plataforma NAU e inscreva-se no curso COVID-19 e Medidas de Isolamento no Domicílio.

]]>
https://covid19.min-saude.pt/curso-covid-19-e-medidas-de-isolamentos-no-domicilio-na-plataforma-nau-a-31-de-maio/feed/ 1
Relatório de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19 | Relatório nº 9 – 28 https://covid19.min-saude.pt/relatorio-de-monitorizacao-das-linhas-vermelhas-para-a-covid-19-relatorio-no-9-28/ https://covid19.min-saude.pt/relatorio-de-monitorizacao-das-linhas-vermelhas-para-a-covid-19-relatorio-no-9-28/#comments Fri, 28 May 2021 23:04:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=13047614 A Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgam o relatório n.º 9 de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19. O relatório inclui os diversos indicadores descritos no documento das Linhas Vermelhas, nomeadamente a incidência a 14 dias e o índice de transmissibilidade (Rt), nacionais e por região de saúde.

Do presente relatório, destacam-se os seguintes pontos:

• O número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2 / COVID-19 por 100 000 habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, foi de 60 casos, com tendência ligeiramente crescente a nível nacional.
• O valor do Rt apresenta valores superiores a 1 a nível nacional (1,07) e nas regiões de saúde do Centro (1,05), de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) (1,14) e do Alentejo (1,16), sugerindo uma tendência crescente, mais acentuada nesta última região.
• Mantendo-se esta taxa de crescimento, o tempo para atingir a taxa de incidência acumulada a 14 dias de 120 casos/100 000 habitantes será de 31 a 60 dias para o nível nacional e de 15 a 30 dias para as regiões de LVT e Alentejo.
• O número diário de casos de COVID-19 internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência ligeiramente decrescente, correspondendo a 22% do valor crítico definido de 245 camas ocupadas.
• Ao nível nacional, a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 foi de 1,3%, valor que se mantém abaixo do objetivo definido de 4%. Observou-se um aumento do número de testes para deteção de SARS-CoV-2 realizados nos últimos sete dias.
• A proporção de casos confirmados notificados com atraso foi de 6,2%, mantendo-se abaixo do limiar de 10%.
• Nos últimos sete dias, 89% dos casos de infeção por SARS-CoV-2 / COVID-19 foram isolados em menos de 24 horas após a notificação, e foram rastreados e isolados 82% dos seus contactos.
• Com base na sequenciação genómica de amostras recolhidas em maio, cuja análise ainda está em curso, a prevalência estimada da variante B.1.1.7 (associada ao Reino Unido) para o continente foi de 87,2%.
• Até 26 de maio, foram identificados, por confirmação laboratorial, 97 casos da variante B.1.351 (associada à África do Sul). Existe transmissão comunitária desta variante.
• Até 26 de maio, foram identificados, por confirmação laboratorial, 133 casos da variante P.1 (associada a Manaus, Brasil). Existe transmissão comunitária desta variante.
• Até 26 de maio, foram identificados 46 casos da variante B.1.617 (associada à Índia), 37 casos da linhagem B.1.617.2. A sequenciação genómica revelou várias introduções distintas desta variante em Portugal. A ausência de ligação epidemiológica em alguns dos casos mais recentes pode indicar a existência de transmissão comunitária da mesma.
• Observa-se transmissão comunitária de moderada intensidade e reduzida pressão nos serviços de saúde. O aumento dos valores do índice de transmissibilidade (Rt) e o aumento da frequência de novas variantes de preocupação devem ser acompanhados com atenção durante as próximas semanas, em especial nas regiões com maior transmissão.

Consulte o Relatório de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19 | Nº 9.

]]>
https://covid19.min-saude.pt/relatorio-de-monitorizacao-das-linhas-vermelhas-para-a-covid-19-relatorio-no-9-28/feed/ 1
DGS apela ao cumprimento das medidas de prevenção da COVID-19 na final da Taça https://covid19.min-saude.pt/dgs-apela-ao-cumprimento-das-medidas-de-prevencao-da-covid-19-na-final-da-taca/ Sun, 23 May 2021 10:43:16 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=12923384 A Direção-Geral da Saúde renova o apelo ao cumprimento das medidas de prevenção da COVID-19 no dia da Final da Taça de Portugal.

À semelhança do jogo decisivo do campeonato nacional de futebol, recomenda-se aos adeptos que festejem em segurança, protegendo-se e protegendo quem os rodeia:

  • Cumpra o distanciamento físico;
  • Use máscara;
  • Celebre com o seu grupo restrito, em casa ou à janela;
  • Evite ajuntamentos;
  • Se tiver sintomas não saia de casa e contacte o SNS24.

Seja um agente de saúde pública e um adepto da saúde.

#UmconselhodaDGS #adeptodasaude

]]>
Relatório de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19 – 21/05/2021 https://covid19.min-saude.pt/relatorio-de-monitorizacao-das-linhas-vermelhas-para-a-covid-19-21-05-2021/ Fri, 21 May 2021 10:47:00 +0000 https://covid19.min-saude.pt/?p=12923380 A Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgam o relatório n.º 8 de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19. O relatório inclui os diversos indicadores descritos no documento das Linhas Vermelhas, nomeadamente a incidência a 14 dias e o índice de transmissibilidade (Rt), nacionais e por região de saúde.

Do presente relatório, destacam-se os seguintes pontos:

O número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2 / COVID-19 por 100 000 habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, foi de 53 casos, com tendência ligeiramente crescente a nível nacional;

O valor do Rt apresenta valores superiores a 1 a nível nacional (1,03) e na região de saúde de Lisboa e Vale do Tejo (1,11), sugerindo uma tendência crescente, mais acentuada nesta região;

A manter esta taxa de crescimento, o tempo para atingir a taxa de incidência de acumulada a 14 dias de 120 casos por 100 000 habitantes, será de 61 a 120 dias e 31 a 60 dias, respetivamente, para o nível nacional e Lisboa e Vale do Tejo;

O número diário de casos de COVID-19 internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência ligeiramente decrescente, correspondendo a 24% do valor crítico definido de 245 camas ocupadas;

Ao nível nacional, a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 foi de 1,2%, valor que se mantém abaixo do objetivo definido de 4%. Observou-se um decréscimo do número de testes para deteção de SARS-CoV-2 realizados nos últimos sete dias;

A proporção de casos confirmados notificados com atraso foi de 8,4%, mantendo-se abaixo do limiar de 10%;

Nos últimos sete dias, 90% dos casos de infeção por SARS-CoV-2 / COVID-19 foram isolados em menos de 24 horas após a notificação, e foram rastreados e isolados 81% dos seus contactos;

Com base na sequenciação genómica de amostras recolhidas em abril, a estimativa da prevalência de casos da variante B.1.1.7 (associada ao Reino Unido) foi de 91,2%;

Até 19 de maio, foram identificados, por confirmação laboratorial, 88 casos da variante B.1.351 (associada à África do Sul). Existe transmissão comunitária desta variante;

Até 19 de maio, foram identificados, por confirmação laboratorial, 115 casos da variante P.1 (associada a Manaus, Brasil). Existe transmissão comunitária desta variante;

Até 19 de maio, foram identificados dez casos da variante B.1.617 (associada à Índia), oito casos da linhagem B.1.617.1 e dois casos da linhagem B.1.617.2. Não parece existir transmissão comunitária desta variante;

Com transmissão comunitária de moderada intensidade e reduzida pressão nos serviços de saúde. O aumento dos valores do índice de transmissibilidade (Rt) deve ser acompanhado com atenção durante a próxima semana pois pode sinalizar o início de um período de crescimento da epidemia.

Consulte o Relatório de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19 de 21/05/2021.

]]>