Voltar

Epidemia longe de ser controlada, alerta a Diretora-Geral da Saúde

isolamento banner

“Esta epidemia está longe de estar controlada. É apenas uma das ondas epidémicas possíveis. Temos que ter muita atenção”, alertou este domingo a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, destacando que, neste momento, “nada é dado como adquirido “ no que diz respeito ao controlo da pandemia de COVID-19.

Segundo a responsável, entre os aspetos mais importantes a ter em conta estão a vigilância epidemiológica, a capacidade de o sistema de saúde dar resposta à pandemia e o equilíbrio com a vida social e económica.

Neste momento, Portugal tem um R0 (número de contágios por cada pessoa infetada) inferior a 1. “Mas como este vírus depende muito dos comportamentos e das ações, o R pode voltar a aumentar”, salientou, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19.

Graça Freitas explicou que o novo coronavírus “vai-se controlando todos os dias, dia a dia, até que de facto, ou por imunidade natural ou porque vai existir uma vacina ou cura, possamos aliviar”. Por enquanto, frisou, “temos que estar vigilantes e pensar que o controlo é relativo”.

“Já percebemos que, quando aliviamos medidas de distanciamento social, pode haver um aumento, um recrudescimento [do número de casos]”, referiu.

Questionada sobre a realização de casamentos e funerais, a Diretora-geral da Saúde salientou que “se tivermos que manter essas medidas [de distanciamento social] para funerais e casamentos, serão mantidas, obviamente. Porque há um bem maior que se sobrepõe que é o bem da saúde individual e da saúde pública”.

A Ministra da Saúde, Marta Temido, voltou a reforçar a mensagem que tem vindo a transmitir: “Até a doença estar erradicada, e face às suas características, nada será como dantes. Mas como não podemos fechar a sociedade, pelas consequências que isso tem em termos individuais e de coletivo, temos que aprender, por um período de tempo, a combinar confiança com a abstenção de comportamentos imprudentes”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela DGS, Portugal regista este domingo 20.206 casos confirmados de COVID-19 (mais 521 casos), 714 óbitos (mais 27) e 610 casos de recuperação.