Voltar

"Encontramo-nos no fim de uma fase pandémica"

16/09/2021
vírus banner

O chefe da Divisão de Epidemiologia e Estatística (DSIA) da Direção-Geral da Saúde (DGS), Pedro Pinto Leite, afirmou que Portugal se encontra “no fim de uma fase pandémica”. Durante a última reunião de especialistas e políticos ocorrida na sede do Infarmed, em Lisboa, explicou que a pandemia se encontra com uma “tendência decrescente”. Verifica-se uma média de 195 casos por 100 mil habitantes e uma variação de 96% relativamente ao período homólogo do ano passado.

Uma diminuição que, salientou o responsável da DSIA, é observada em todas as regiões. “Não há nenhum concelho com uma incidência superior a 960 casos por 100 mil, apenas há 12 com incidência superior a 480 por 100 mil”.

Pedro Pinto Leite explicou ainda que a incidência tem também uma tendência decrescente em todos os grupos etários, chamando a atenção para uma grande descida nas faixas etárias dos 10 aos 19 anos e dos 20 aos 29 anos para valores inferiores a 480 casos por 100 mil habitantes. Uma informação “especialmente relevante” nesta altura do ano, de regresso às aulas.

A diminuição da incidência é acompanhada de um decréscimo da positividade, sendo que, apesar de se verificar uma grande intensidade na testagem, há “menos vírus em circulação e menos casos confirmados” de COVID-19.

Igualmente destacado foi uma diminuição no número de internamentos (15%), tanto em enfermaria como em Unidades de Cuidados Intensivos, comparativamente com o mesmo período do ano passado.

Quanto à mortalidade, a taxa fixa-se em 13 por um milhão de habitantes, abaixo do limiar definido pelo European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC), de 20 por um milhão de habitantes, com um decréscimo de 19% em relação ao mesmo período de 2020.

“Estes indicadores e esta situação favorável têm uma grande ligação, por um lado, ao sucesso que é a vacinação e às elevadas coberturas vacinais que o país apresenta”, resumiu Pedro Pinto Leite.