Voltar

É possível frequentar esplanadas, mas com regras

vírus covid banner

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, disse este sábado que as esplanadas podem ser frequentadas em contexto de pandemia de COVID-19, mas devem ser respeitadas as medidas de saúde pública com vista ao controlo da disseminação do novo coronavírus.

“As pessoas podem frequentar esplanadas e podem frequentar os sítios perto das esplanadas, mas têm que cumprir as regras”, disse a especialista em saúde pública, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, onde foi questionada sobre este tema.

“Nós fazemos as regras que são boas práticas. Quem as tem que aplicar é cada um. Ir a uma esplanada por si só é até aconselhável para a retoma da economia e da vida social e de relação, mas com os cuidados que têm sido ditos. Não é ir à esplanada como íamos no verão passado”, explicou.

A Diretora-Geral da Saúde lembrou que é preciso manter distância social, usar máscara em determinadas circunstâncias, higienizar as mãos e não partilhar garrafas, copos ou outros objetos que venham da boca de outra pessoa.

“Em ambiente COVID, o nosso objetivo é quebrar cadeias de transmissão. Enquanto houver vírus a passar de uma pessoa para outra, as cadeias de transmissão mantêm-se e, mais tarde ou mais cedo, atingem pessoas muito vulneráveis”, alertou, destacando que “tem que haver a noção que com o não cumprimento [das regras] estamos a perpetuar uma cadeia de transmissão”.

Questionada sobre a presença de acompanhantes nos partos durante a pandemia, a responsável remeteu para a orientação da Direção-Geral da Saúde (DGS) que prevê que possa estar um acompanhante junto da parturiente. Contudo, ressalvou, em circunstâncias especiais, a equipa clínica que assiste o parto poderá decidir que não, mas “isso são situações pontuais. A regra é que o acompanhante possa estar a assistir”.

De acordo com o relatório epidemiológico publicado pela DGS, Portugal regista este sábado 32.203 casos confirmados de COVID-19, mais 257 do que ontem, dos quais 14 na região Norte, 11 no Centro, 231 na região de Lisboa e Vale do Tejo e 1 no Algarve.

Nas últimas 24 horas registaram-se mais 13 óbitos, o que elevou para 1.396 o número total de mortes. Por outro lado, verificam-se 19.186 pessoas curadas da COVID-19, mais 275 do que no dia anterior.

Portugal tem atualmente 514 doentes internados por COVID-19 (menos 13 do que no dia anterior), dos quais 63 em unidades de Cuidados Intensivos (menos 3).