Voltar

Doentes recuperados podem inscrever-se para doar plasma

04/05/2020
enfermeiro banner

Portugal começa este mês a fazer a colheita de plasma de sangue de doentes recuperados da COVID-19 em 10 unidades de saúde distribuídas pelo país. A partir de hoje, os doentes curados da infeção provocada pelo novo coronavírus já podem inscrever-se como potenciais dadores.

A informação foi avançada esta segunda-feira pelo Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, e pela presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, Maria Antónia Escoval, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19.

“A dádiva de sangue em Portugal é anónima, benévola e voluntária e estará disponível no site do IPST um link onde todos os doentes recuperados podem a partir de hoje disponibilizar-se para fazer a sua dádiva de plasma convalescente”, referiu Antónia Escoval.

Segundo a responsável, o IPST desenvolveu um procedimento que envolve a seleção dos dadores, a colheita, a análise, o procedimento e distribuição deste plasma.

Destacando que “a transfusão de plasma convalescente já foi feita noutros países, nomeadamente na China, com bons resultados”, Lacerda Sales explicou que “os critérios para a participação em ensaios clínicos com plasma convalescente são coordenados pelo IPST, e envolvem ainda a Direção-Geral da Saúde (DGS), o Infarmed, o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) e o Instituto de Medicina Molecular (IMM) de Lisboa”.

Antónia Escoval acrescentou que é esse grupo de trabalho que “irá definir os critérios mínimos de inclusão nestes ensaios clínicos e tudo o que envolve esta terapêutica, nomeadamente volumes a transfundir e doentes a incluir nestes ensaios”.

Apesar de as reservas de sangue terem estado em níveis estáveis em março e abril, a presidente do IPST apelou a todos os potenciais dadores que exerçam o dever de cidadania, pois a remarcação da atividade assistencial aumentará a necessidade de sangue. “Todos os dias há doentes que necessitam de sangue e componentes sanguíneos”, sublinhou.

De acordo com o relatório epidemiológico publicado esta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista 25.524 casos confirmados de COVID-19, o que representa mais 242 do que no dia de ontem (mais 1%). Por outro lado, verificam-se 813 casos em internamento (menos 43), dos quais 143 em unidades de Cuidados Intensivos (menos 1).

O boletim indica ainda a existência de 1.712 casos de recuperação e 1.063 óbitos. Neste momento, a taxa de letalidade global é de 4.2% e de 14.9% acima dos 70 anos.