Voltar

Divulgada circular conjunta sobre testes de pesquisa de antigénio

15/10/2020
testes banner

A Direção-Geral da Saúde (DGS), o Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgaram esta quarta-feira uma circular conjunta sobre testes de pesquisa de antigénio desenvolvidos para o diagnóstico de SARS-CoV-2.

De acordo com o documento, os testes rápidos de deteção de antigénio devem ser utilizados de acordo com a situação clínica, epidemiológica e objetivo para o qual se destinam, nomeadamente para deteção de casos da COVID-19 de forma rápida, para a célere implementação de medidas de controlo da transmissão do vírus.

Em Portugal, são aceites os testes que apresentem os padrões de desempenho com valores de sensibilidade superior ou igual a 90% e de especificidade igual ou superior a 97%.

“Uma maior sensibilidade dos testes é obtida quando são realizados em indivíduos sintomáticos e numa fase inicial da infeção (casos com início dos sintomas inferior a 5-7 dias), período em que a carga viral no trato respiratório superior é mais elevada”, lê-se na circular.

Pode ser considerada a realização do diagnóstico laboratorial, por testes rápidos de deteção de antigénio, de acordo com a Estratégia Nacional de Testes.