Voltar

Diretora-Geral da Saúde pede contenção nos convívios

19/06/2020
covid virus banner

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, apelou hoje à contenção nos convívios, que, no âmbito do estado de calamidade, não podem implicar mais de 20 pessoas.

A responsável falava aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19, onde foi questionada sobre a reabertura dos bares e discotecas.

A especialista em saúde pública pediu “calma e ponderação” aos responsáveis por estes espaços, pois “estamos com uma situação em Lisboa e Vale do Tejo que ainda nos inspira alguma preocupação” e “todos vimos o resultado de uma festa no Algarve”.

“Temos que ser muito parcimoniosos e criteriosos nos nossos ajuntamentos e nos nossos convívios”, sublinhou, acrescentando que a Direção-Geral da Saúde “está muito sensível a que a economia funcione, mas, para que a economia funcione, temos que ter a situação epidemiológica controlada”.

“Vamos fazer o apelo a que as pessoas tenham contenção nos seus convívios. Não podemos fazer festas como fazíamos antes. Isto não só põe em risco a saúde dos próprios como a saúde de terceiros, toda a economia e todo o país”, afirmou.

Graça Freitas lembrou que a festa que decorreu no Algarve “gerou pelo menos cerca de 90 casos positivos, entre os que estiveram na festa e os que não estiveram na festa e que foram infetados pelos que estiveram na festa, incluindo crianças com menos de 9 anos de idade”.

Em contexto de pandemia, é importante lembrar que “os nossos atos não implicam apenas consequências para a nossa saúde”, mas também “para a saúde de outras pessoas e para o nosso país”.

A Ministra da Saúde, Marta Temido, lembrou ainda que “estão proibidos ajuntamentos com mais de 20 pessoas” e que o país ainda se encontra em estado de calamidade.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista mais 467 doentes recuperados da COVID-19, ou seja, um total de 24.477 casos de recuperação da infeção provocada pelo novo coronavírus.

À semelhança do que aconteceu ontem, o número de recuperados voltou a ser superior ao de infetados, que registou um aumento de 375 nas últimas 24 horas, mais 1%, elevando para 38.464 o número total de casos confirmados de COVID-19 no país.

A última atualização do relatório indica que ocorreram mais três óbitos relacionados com a pandemia, que já provocou um total de 1.527 mortes.