Voltar

Diretora-Geral da Saúde lembra que existem regras para casamentos e batizados

12/06/2020
35. Distanciamento_Desktop

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, lembrou hoje que os casamentos e funerais devem observar um conjunto de regras de proteção contra a COVID-19, que também se aplicam aos funerais.

“Se as pessoas pertencem a agregados familiares diferentes, não se devem juntar. Essa é a regra número um”, disse esta sexta-feira a responsável, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia.

Lembrando que “está em vigor legislação que diz que não se devem juntar mais do que 20 pessoas e até houve uma exceção para Lisboa, dada a sua situação epidemiológica, de 10 pessoas”, recordou que foram abertas “algumas exceções, nomeadamente nos funerais, quando todos os intervenientes pertencem a agregados familiares e, mesmo nessas situações, devem manter distanciamento social, utilização de máscara, permanência curta”.

Graça Freitas alertou que “há regras”, pelo que “não podemos celebrar um casamento, um batizado ou qualquer outra festa como o fazíamos antes”. Apelando aos portugueses para que revejam as cerimónias e rituais, a Diretora-geral lembrou que existem riscos no convívio com outros agregados familiares.

“Há casos assintomáticos, e não havendo a certeza absoluta que não possam transmitir a doença, há que ter cautelas e ver todas as orientações que a DGS já publicou”, afirmou.

Questionada sobre a abertura dos ATLs, a responsável explicou que “houve necessidade de uma adaptação em função da situação epidemiológica”, pelo que “abrirão a partir de 15 de junho os que não estão integrados em estabelecimentos escolares e a partir de 26 de junho os que estiverem relacionados com as escolas”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal registou mais uma morte por COVID-19 nas últimas 24 horas, contabilizando agora um total de 1.505 óbitos relacionados com a pandemia. Por outro lado, verificam-se mais 270 casos confirmados da doença provocada pelo novo coronavírus, o que eleva para 36.180 o número de infetados (um crescimento de 0.8% em relação a ontem).

“Dos novos casos assinalados, em linha com a realidade das últimas semanas, cerca de 90% pertencem à região de Lisboa e Vale do Tejo e destes 25% a cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa”, adiantou a governante.

De acordo com o relatório de situação de hoje, verificam-se 22.200 doentes recuperados, o que significa um aumento de 198, ou seja, 0.9% em relação ao dia de ontem.