Voltar

Diretora-Geral da Saúde apela ao cumprimento do isolamento

05/06/2020
isolamento social idoso banner

“Quem tem indicação para ficar em isolamento, tem de ficar isolado. É o nosso apelo”, sublinhou esta sexta-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19.

Na sua intervenção inicial, a especialista em saúde pública disse que “quem está doente, quem suspeita que está doente, quem é positivo e é contacto de um doente, não deve circular. Deve ficar na sua casa, isolado profilaticamente durante 14 dias”. Quem está nesta situação “não deve ir nem para a casa do lado”, frisou.

A responsável lembrou que “todas as pessoas que sabem que estão positivas para COVID-19, tenham ou não tenham sintomas, e todas as pessoas que são os seus contactos próximos, sem sintomas à partida, e que estão sob vigilância das autoridades de saúde, têm indicação para ficar em isolamento”.

“Quero fazer um apelo muito sério a que mantenham esse isolamento durante 14 dias”, reforçou Graça Freitas, acrescentando que o isolamento permite que as pessoas não transmitam o vírus a outras.

“É muito importante que não se continue a propagar a infeção. O nosso país está à beira de controlar a situação epidémica, portanto temos que fazer um esforço final para que, quem está positivo ou é contacto de um positivo e está com medidas de isolamento, cumpra esse isolamento […] e não contagie amigos, conhecidos, colegas, familiares”, afirmou a especialista, destacando que estas pessoas “não devem ir trabalhar, não devem ir conviver e os seus filhos não devem ir à escola sob nenhuma circunstância”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista esta sexta-feira 33.969 casos confirmados de COVID-19, mais 377 do que no dia de ontem, o que corresponde a um aumento de 1.1%.

Por outro lado, registam-se 1.465 mortes relacionadas com a covid-19, mais 10 do que na quinta-feira, ou seja, mais 0.7%.

Na Região de Lisboa e Vale do Tejo (12.473), onde se tem registado maior número de surtos, há mais 336 casos de infeção (+2,8%).

Segundo a última atualização, existem 475 doentes internados em hospitais, mais 30 do que na quinta-feira, dos quais 64 em Unidades de Cuidados Intensivos (mais 4).