Voltar

Diretora-Geral da Saúde apela ao cumprimento das regras

14/10/2020
recuperados desktop

“Está nas mãos de todos nós fazermos um esforço para fazer as nossas vidas o mais próximo possível da normalidade, mas com cautelas, com regras”, disse esta quarta-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19. 

A especialista em saúde pública apelou à população para que tenha “ainda mais paciência e resiliência”, porque “o vírus está a fazer o seu percurso, tem a sua dinâmica e tende a infetar-nos”. 

“Já fizemos um esforço imenso desde março para aqui chegar. Já tivemos momentos melhores e piores. De facto, temos tido de um modo geral um comportamento bastante bom como cidadãos, mas temos que pensar que o vírus está a fazer o seu percurso”, reforçou.   

Lembrando que os convívios familiares são responsáveis por uma grande parte das infeções, Graça Freitas explicou que “por sermos da mesma família não pertencemos ao mesmo núcleo, à mesma bolha”. Por isso, “se fizermos convívios, festas ou comemorações com muita gente, isto dá origem a muitos surtos”. 

Apesar de as pessoas [infetadas] serem jovens, prosseguiu, “não estão imunes a ser internadas” e a ter “doença grave. E estão, sobretudo, a transmitir a doença a grupos mais vulneráveis, nomeadamente aos idosos e a pessoas que, não tão idosas, podem ter patologia e serem grupos de risco”. 

De acordo com o relatório de situação publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde, Portugal tem hoje 2.072 novos casos de infeção com o novo coronavírus e mais sete mortos. 

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 2.117 mortes e 91.193 casos de infeção, estando ativos 34.583 casos, mais 1.619 do que na terça-feira.         

Neste momento, as autoridades de saúde têm em vigilância 50.544 contactos, mais 253 em relação a terça-feira. Nas últimas 24 horas, 446 doentes recuperaram, totalizando 54.493 desde o início da pandemia.