Voltar

Diretora-Geral da Saúde apela ao cumprimento das medidas básicas

02/11/2020
63_ Recomendações Gerais _desktop

“As únicas medidas que temos neste momento contra a propagação do vírus são os nossos comportamentos, que travaram a primeira onda epidémica”, disse esta segunda-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19.

Reconhecendo que “todos estamos cansados e somos tentados a dar passos que nos desprotegem e às pessoas à nossa volta”, a especialista em saúde pública apelou a que não se baixe a guarda, “por muito cansados que estejamos”.

Entre as medidas a adotar, Graça Freitas destacou a importância de reduzir o número de contactos, aumentar a distância física entre pessoas (sempre que possível dois metros), usar a máscara, evitar mexer na cara (sobretudo no nariz e na boca), higienizar as mãos frequentemente e cumprir a etiqueta respiratória.

Na declaração inicial, a Diretora-Geral da Saúde lembrou que “o vírus transmite-se através de nós, de um para o outro, e tem como efeito gerar doença, sofrimento, internamento e mesmo morte”.

A tendência, prosseguiu, é para o vírus se propagar. “Se nada for feito, origina novas ondas, novas curvas de infeção na população”, explicou, apelando à responsabilidade coletiva de achatar a curva.

“Ao achatá-la reduz-se, para o mesmo intervalo de tempo, o número de casos, de internamentos e de mortes, aliviando a pressão sobre o sistema de saúde e ganhando tempo até ter uma vacina”, esclareceu.