Voltar

Diretora-Geral da Saúde alerta para falsa sensação de segurança das máscaras

A Diretora-Geral da Saúde alertou, neste domingo, para a “falsa sensação de segurança” transmitida pelas máscaras, destacando que “o que é preciso garantir no dia a dia é o distanciamento social” e reduzir o número de vezes que levamos “as nossas mãos à nossa cara”.  

Na conferência de imprensa de apresentação da atualização diária da COVID-19, Graça Freitas insistiu que “a máscara não é panaceia para tudo. Não vale a pena usar máscaras que nem sequer são impermeáveis”. Questionada sobre as máscaras de pano que estão a ser comercializadas, a Diretora-Geral da Saúde adiantou que o pano não é impermeável, fica húmido e o vírus pode passar. “Não use máscaras. Tenha a contenção e o cuidado de manter distância social”, sublinhou.

O que também não deve dar uma falsa sensação de segurança, alertou, é o aumento do número de casos confirmados, que nos últimos dias não tem passado dos 25%. “Até à data, a curva tem tido um comportamento não explosivo. É curva ascendente, é óbvio, porque todos os dias temos mais casos, mas não é explosivo […] Não me atreveria, com base em três ou quatro dias, a prever como vai ser a curva daqui para a frente”, explicou.

“Nada nos deve deixar descansados, nem baixar a guarda, nem dar uma falsa sensação de segurança. É como as máscaras”, referiu Graça Freitas.

Sobre o perfil dos doentes internados com COVID-19 em Portugal (169 em internamento, dos quais 41 em unidades de cuidados intensivos), a Diretora-Geral da Saúde adiantou que só nos próximos dias será possível compilar essa informação. Por agora, avançou, sabe-se que “todos os óbitos que ocorreram em Portugal correspondem ao perfil clássico: pessoas idosas e com múltipla patologia – grave na maior parte das circunstâncias”.  

Na abertura da conferência de imprensa, a Ministra da Saúde aproveitou para agradecer a generosidade de todos os setores da sociedade no combate à epidemia, dos médicos à população em geral, passando pelos profissionais que trabalham na aquisição de equipamentos.

“Deixo uma palavra aos portugueses e portuguesas que estão em isolamento profilático ou que estão doentes em suas casas, no sentido de recordar a enorme importância do vosso comportamento, da vossa decisão individual para o bem estar de todos nós”, disse Marta Temido.

A Ministra da Saúde frisou, ainda, que “todos juntos vamos ser capazes de vencer o vírus”, o que exige “uma grande disciplina e ter alguns hábitos simples como lavar as mãos e arejar as habitações”.

De acordo com o último boletim epidemiológico da DGS, Portugal tem 1600 casos confirmados, 9027 casos não confirmados, 1152 a aguardar resultado laboratorial 1152 e 12562 pessoas em vigilância.