Voltar

Direção-Geral da Saúde publica orientação para locais de culto

vírus banner

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou esta sexta-feira uma orientação com as medidas de prevenção e controlo da COVID-19 a adotar em locais de culto e religiosos, tanto pelas instituições como pelos cidadãos que frequentam estes espaços.

Atendendo à interação social e à proximidade entre os membros da comunidade, estão são locais com risco aumentado de propagação do vírus e onde o impacto da doença pode ser maior, já que existe uma representatividade considerável de pessoas com mais de 65 anos e de pessoas com comorbilidades nos cultos.

Entre as práticas a adotar pelas instituições, o documento prevê a existência de um plano de contingência com os procedimentos a adotar perante um caso suspeito, a limitação e o adiamento de atividades (catequese, reuniões) que impliquem aglomeração de pessoas onde não seja possível respeitar medidas de mitigação e a manutenção de meios de transmissão alternativos.

Os responsáveis devem também remover ou proibir o toque de objetos ou substâncias do local de culto, nomeadamente água benta e outros símbolos, e sinalizar os lugares que podem ser ocupados de forma a garantir o distanciamento de, pelo menos, 2 metros entre pessoas (exceto coabitantes). Devem também disponibilizaruma solução à base de álcool para as pessoas desinfetarem as mãos, pelo menos, à entrada e à saída do local de culto e em pontos estratégicos e aumentar a frequência da desinfeção dos espaços comuns.

Em contexto de pandemia, as instituições devem também aconselhar as pessoas com fatores de risco (mais de 65 anos e/ou comorbilidades) a assistirem às celebrações através de meios de transmissão alternativos ou a optarem por horários em que as celebrações são menos frequentadas.

Para evitar aglomerações de pessoas durante a celebração, deve ser limitada a capacidade máxima do local de modo a garantir o distanciamento recomendado e organizando antecipadamente o número de participantes.

Quem frequenta os locais de culto deve desinfetar as mãos à entrada e à saída do local, manter a distância de dois metros com as pessoas com as quais não coabita e usar máscara facial durante a celebração, sempre que possível, entre outras medidas.

Para mais informações, consulte a Orientação n.º 029/2020 de 29/05/2020.