Voltar

DGS alerta: Notificação no SINAVE é obrigatória

22/04/2020
covid mundo banner

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, lembrou esta quarta-feira que os médicos têm obrigação de fazer a notificação dos casos de COVID-19 no SINAVE (Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica), “exatamente como todos os laboratórios têm obrigação de notificar no SINAVE, mesmo que o resultado [dos testes] seja negativo”.

Questionada sobre as queixas de alguns profissionais de saúde relativas a demoras na notificação no SINAVE, a responsável adiantou que existem “intenções de o melhorar, em parceria com a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde”.

Graça Freitas agradeceu “muito aos médicos a resiliência que têm tido para o preencher”, contudo, ressalvou, “é uma obrigatoriedade”. “Independentemente de o sistema ser pouco ou muito amigável – e já disse que vamos melhorá-lo – e independentemente de estar mais ou menos lento, todos os médicos têm obrigação de notificar no SINAVE”, alertou.

A mesma obrigação estende-se aos laboratórios, que devem notificar todos os resultados dos testes, mesmo quando são negativos. Respondendo a uma questão colocada no dia anterior, a Diretora-Geral da Saúde explicou que o aumento no número de casos suspeitos verificado nos últimos dias deve-se “a um enorme aumento da notificação laboratorial, que correspondeu a um apelo que a DGS tinha feito a todos os laboratórios para notificarem não só casos positivos, como também os casos negativos”.

No dia 18, adiantou, “80% das notificações eram laboratoriais e destas 40% tinham validação de exame prévia à data em que foram incluídas”, sendo que a mais antiga era de 20 de março. Esta notificação não se refletiu num aumento de casos confirmados de COVID-19, porque “a grande maioria [das amostras] eram negativas”.

Ainda sobre este tema, Graça Freitas lembrou que “é só a partir do reporte médico e laboratorial que conseguimos acompanhar a evolução da epidemia”. “Se queremos boa informação temos que a reportar”, frisou.