Voltar

Convívio familiar pode levar a contágios, alerta a Diretora-Geral da Saúde

17/08/2020
30. Famílias-ON-–-stress-e-burnout-OFF_Desktop

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, alertou esta segunda-feira para a possibilidade de contágio da COVID-19 em contexto familiar, nomeadamente entre núcleos familiares diferentes, devido às distrações no cumprimento das medidas de proteção da infeção.

As declarações da especialista em saúde pública foram proferidas na conferência de imprensa de imprensa de atualização dos dados da pandemia da COVID-19, onde foi questionada sobre a situação na região Norte.

“Todos nos recordamos que quando a epidemia começou, a região mais precocemente e mais intensamente afetada foi a região Norte. Depois apresentou acalmia, sobretudo quando comparado com a região de Lisboa, mas nunca deixou de ter casos”, recordou.

Neste momento, adiantou, existem surtos. “O concelho de Vila do Conde tem sido particularmente afetado”, frisou, destacando que os surtos têm origem familiar e social.

Graça Freitas aproveitou para chamar a atenção das famílias, porque é “muito fácil” no convívio familiar “termos algumas distrações que podem levar a contágio”.

“Mesmo sendo da mesma família, vimos daquilo a que se chamam bolhas ou núcleos diferentes. Quando nos encontramos, basta uma dessas bolhas ter um caso infetado que pode propagar”, alertou.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado hoje pela DGS, Portugal regista esta segunda-feira mais 103 casos de recuperação da COVID-19, o que eleva para 39.800 o número total de recuperados, ou seja, 73.4% do total de infetados.

Desde março, foram confirmados 54.234 casos de COVID-19 em Portugal, o que representa um aumento de 123 em relação ao dia de ontem (mais 0.2%).

Por outro lado, o país acumula 1.779 óbitos (mais um do que ontem) relacionados com a pandemia da COVID-19.