Voltar

Como lidar com o isolamento em família? A DGS responde num manual

16/04/2020
isolamento social idoso banner

Lidar com as emoções, as rotinas, a separação e a ansiedade em tempo de isolamento e distanciamento social pode ser um desafio para muitas famílias. Por isso, a Direção-Geral da Saúde (DGS) lançou um manual, através do Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil e do Programa Nacional de Prevenção da Violência no Ciclo de Vida, que tem como objetivo apoiar as famílias que se encontram em casa em isolamento.

“Neste momento crítico é importante fortalecer os laços em família e gerir momentos de tensão e conflito. As crianças e jovens são vulneráveis às pressões do meio e da própria situação de isolamento”, lê-se no documento, que alerta pais, mães e cuidadores/as para estarem atentos e adotarem estilos de relação que minimizem o impacto da situação nas crianças e jovens.

O manual está dividido por capítulos que fornecem dicas sobre como lidar com a vida em família, com as emoções, com o stress, com as regras e limites, com o isolamento, com a segurança online, entre outros.

“Para as famílias que estão em isolamento, é fundamental a organização de uma rotina diária que responda às necessidades de todos/as e que equilibrem momentos de trabalho e de lazer, de interação e autonomia”, refere o documento, destacando que os pais que estão em teletrabalho têm, ainda, de aceitar que não conseguirão trabalhar o número de horas que trabalhariam numa situação normal. Por isso, podem, por exemplo, tentar intercalar “turnos” de teletrabalho, para gestão do tempo com as crianças, sem esquecer os momentos de atividade com toda a família.

Como as situações novas podem gerar angústia, os autores sugerem que os adultos ajudem as crianças a encontrar maneiras positivas de expressar sentimentos, como medo e tristeza. Por vezes, adiantam, um atividade criativa, como brincar e desenhar, pode facilitar esse processo.

Para diminuir a ansiedade, é importante conversar acerca da COVID-19 de uma forma clara e adequada à idade. “Explique que há um limite de tempo para este isolamento – a noção de início e de fim transmite confiança e esperança”, propõem.

Nos casos em que as crianças têm de ficar separadas dos cuidadores, “deve ser mantido contacto regular, como telefonemas ou videochamadas agendadas ou outra comunicação apropriada à idade”.

Tal como nas crianças, o isolamento também aumenta a ansiedade nos adolescentes, que, mesmo à distância, devem manter contacto com os amigos.

Entre os conselhos para lidar com o isolamento, o manual da DGS propõe a partilha de sentimentos, o contacto com amigos e familiares, a atividade física, a alimentação saudável e o controlo da exposição a notícias sobre a COVID-19.

Relativamente à segurança online, os autores aconselham respeito pelos outros, cuidado a falar com pessoas desconhecidas, manter as passwords em segredo, entre outras medidas.

Saiba mais no Manual para famílias – Como lidar com o isolamento em contexto familiar.