Voltar

Cada infetado contagia em média 0.97

15/05/2020
casa banner

Cada pessoa infetada com COVID-19 em Portugal contagia, em média, 0.97, existindo “pequenas variações regionais”, disse esta sexta-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia de COVID-19.

Na região Centro, apesar de existirem poucos casos novos, o Rt é de 1.03. No entanto, ressalvou a especialista em saúde pública, “as diferenças são muito pouco significativas entre regiões”.

Portugal registou nas últimas 24 horas mais seis mortes por COVID-19, a subida mais baixa desde março. Com este aumento de 0.5% no número de óbitos, o país soma agora 1.190 mortes relacionadas com a infeção provocada pelo novo coronavírus.

Em declarações aos jornalistas, Graça Freitas fez uma caraterização geral das mortes por COVID-19 em Portugal: “86.6% dos óbitos acima dos 70 anos e 14.4% abaixo dos 70 anos”. Segundo a responsável, a morte mais nova por COVID-19 situa-se na faixa etária dos 20 aos 29 anos de idade.

“A grande maioria dos óbitos tem registado no seu certificado de óbito a existência de comorbilidades, ou seja, de doenças muitas vezes graves, neurológicas, cardiovasculares, oncológicas associadas ao óbito”, referiu.

Existem ainda “poucas situações – casos esporádicos” – em que o médico não registou nenhuma comorbilidade – “mas são situações muito pontuais”.

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, sublinhou que “não é altura para fazer balanços”. “Estamos numa monitorização permanente deste surto e estamos a acompanhar de uma forma permanente o impacto das medidas, de forma a criarmos uma margem de segurança para os nossos concidadãos”.

O número total de casos confirmados de COVID-19 é atualmente 28.583, mais 264 do que no dia de ontem, o que corresponde a um aumento de 0.9%. Segundo a última atualização, registam-se 3.328 casos de recuperação (mais 130 do que na quinta-feira) e 673 casos em internamento, dos quais 112 em unidades de Cuidados Intensivos.

Do total de casos confirmados, 81.8% encontram-se em tratamento domiciliário e 2.4% em internamento hospitalar (0.4% em unidades de Cuidados Intensivos e 2% em enfermaria geral). Neste momento, a taxa de letalidade é de 4.2%, ascendendo aos 15.4% na população com mais de 70 anos.