Voltar

BI SINAVE entrou hoje em funcionamento

16/11/2020
covid mundo banner

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, anunciou esta segunda-feira a entrada em vigor do BI SINAVE, “um sistema mais avançado e robusto para o tratamento dos dados e o visionamento da informação relevante, para efeitos de intervenção na pandemia COVID-19”.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, a especialista em saúde pública explicou que “este novo sistema permite recolher e analisar, através de automatismos, um volume cada vez maior de dados e comunicar a informação de forma mais rápida, com maior qualidade e detalhe, para o cidadão, para as equipas de intervenção locais, para a academia e para os decisores políticos”.

Esta plataforma resulta do trabalho conjunto entre as equipas da Direção-Geral da Saúde e dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), e “constitui um melhoramento, a pensar no futuro, ao Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica”.

“Em todos os países, nomeadamente nos europeus, os sistemas de informação epidemiológica, cuja função é permitir adequar o conhecimento à ação, estão sujeitos a uma enorme pressão que resulta dos muitos casos notificados diariamente. A título de exemplo, o sistema português conta com mais de 3 milhões de notificações até à data”, prosseguiu Graça Freitas.

O BI SINAVE tem maior capacidade para tratar a informação constante das bases de dados, designadamente do SINAVE Lab e do SINAVE Med, e do seu cruzamento com o Trace-COVID e com o Registo Nacional de Utentes, maximizando a utilidade da informação de várias fontes complementares.

As diferenças em relação ao anterior sistema resultam, essencialmente, “do facto de os números do Relatório de Situação Diário serem o somatório de fotografias estáticas, enquanto o BI SINAVE é um sistema dinâmico”.

Além de dinâmico, o BI SINAVE “é mais sensível e capaz de detetar a generalidade das atualizações que vão sendo feitas às notificações, essencialmente laboratoriais, fazendo-as refletir-se na contabilização geral do que vai sucedendo na pandemia”.