Voltar

80 a 85% dos infetados tiveram sintomatologia ligeira a moderada

covid banner

A maior parte das pessoas infetadas com COVID-19 que ficaram em tratamento domiciliário tiveram sintomas “muito ligeiros” durante toda a fase da doença, adiantou esta quarta-feira a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, destacando que “não foram frequentes os casos que agravaram essa sintomatologia e foram encaminhados para um hospital”.

Questionada sobre este tema na conferência de imprensa diária sobre a pandemia, referiu que “80 a 85% das pessoas tiveram uma sintomatologia muito ligeira a moderada”.

Segundo a responsável, todas as pessoas que ficaram em vigilância e observação domiciliária, que foram mais de 80%, “tiveram sintomatologia ligeira a moderada, portanto foi possível permanecer em domicílio”.

Ao fazer rastreios, as autoridades de saúde perceberam também que “algumas pessoas – como em todo o mundo tem sido relatado – nem chegam a apresentar sintomas”.

Sobre as orientações para as creches lançadas hoje, a Diretora-Geral da Saúde reforçou que “são um conjunto de boas práticas”, que foram elaboradas em conjunto com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e outros parceiros, para “conciliar o melhor de dois mundos” – permitir atividades lúdicas mas com regras.

“Não havendo risco zero”, assumiu, são regras que “ajudam a minimizar o risco sem coartar o desenvolvimento normal deste grupo”, numa altura em que o país se prepara para “entrar num novo tipo de normalidade”. Em declarações aos jornalistas, Graça Freitas disse que acredita que “não vai ser difícil para as instituições cumprirem estas indicações”.

De acordo com último relatório epidemiológico publicado pela DGS, Portugal regista esta quarta-feira 28.132 casos confirmados de COVID-19, o que representa mais 219 do que no dia de ontem, ou seja, mais 0.8%.

Neste momento, há 692 pessoas em internamento, das quais 103 em Cuidados Intensivos, menos 10 do que na terça-feira. Por outro lado, há 3.182 casos de recuperação (mais 169), que correspondem a 11.3% dos casos confirmados, e 1.175 óbitos. A taxa de letalidade global é de 4.2% e de 15.3% na população acima dos 70 anos.