Voltar

45% das novas infeções contraídas dentro de casa

trabalhar em casa banner

A Ministra da Saúde, Marta Temido, avançou este domingo que do total de casos positivos de COVID-19 analisados entre 13 e 21 de março, 45% foram infetados entre coabitantes, 19% em ambiente laboral, 11% em lares e 10% em ambiente social. Esta última percentagem, sublinhou, mantém-se “relativamente estável ao longo das semanas”.

Em análise estava uma amostra de 1.504 casos confirmados de infeção, 80% dos casos novos que se verificaram no referido período. Contudo, apenas “53% tinham registo de informação sobre o tipo de transmissão”.

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, disse que “não surpreende muito que no ambiente domiciliário aconteça este tipo de transmissão”, pois “é difícil dentro do agregado familiar manter o isolamento ao longo de 14 dias”.

Por muitas regras que existam, reconheceu, a coabitação constitui um fator de risco para a transmissão da infeção. “O que é positivo é que estes casos são pouco graves, são tratados em domicílio e poucos vão depois para o hospital”, destacou.

Segundo a especialista em saúde pública, “uma habitação funciona quase como um ecossistema, uma bolha isolada, onde está um caso positivo e contactos próximos”.

Em declarações aos jornalistas na conferência de imprensa de atualização dos dados da pandemia, Graça Freitas pediu que haja “muita cautela” na convivência entre familiares e amigos de habitações diferentes. “Tem que haver respeito pelo distanciamento entre pessoas”, lembrou, acrescentando que “pode haver pessoas infetadas mesmo que não saibam”.

Na intervenção inicial, Marta Temido adiantou várias informações sobre a amostra analisada de 13 a 21 de maio: 48% eram mulheres, 36% estavam no grupo etário entre os 20 e os 39 anos , 55% eram residentes no distrito de Lisboa, 13% em Setúbal – o segundo distrito mais representado – e 11% no Porto.

“50% eram sintomáticos e 33% assintomáticos, não havendo informação registada sobre a apresentação clínica dos restantes”, avançou a Ministra da Saúde.

A governante disse também já chegaram mais 60 ventiladores das encomendas feitas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) e que estes equipamentos “vão ser submetidos a processos de verificação e testagem”.

De acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal tem 30.623 casos confirmados de COVID-19, mais 152 do que no dia de ontem.

O país contabiliza atualmente 17.549 casos de recuperação da infeção provocada pelo novo coronavírus e 1.316 óbitos relacionados com a infeção.